Morcego Bobo: Um livro infantil sobre empatia

Um morcego chega no pedaço e a bicharada vai dar as boas-vindas. Mas, sempre que  conversavam, o morcego falava cada coisas estranhas… O céu ficava embaixo, e a montanha em cima, por exemplo. Ele “enxergava tudo do jeito errado. Pelo menos era isso que os filhotes dos animais da floresta achavam”. 

Morcego Bobo

Este é o enredo de Morcego Bobo, de autoria de Tony Ross e Jeanne Willis, que retrata a história de um morcego mal compreendido pelos outros animais, só porque via o mundo de uma forma diferente. Os animais da floresta, sem compreenderem o morcego, diziam que ele era bobo, louco e, portanto, um tanto perigoso. Infelizmente, muitas vezes, a vida real não é tão diferente… É comum, especialmente em idade escolar, que os pequenos (e até nós, adultos) encarem o que é diferente de forma negativa, somente pelo fato de ser incompreendido ou desconhecido.

O crescente debate sobre o bullying tem apontado caminhos para debater sobre esse assunto, em que uns menosprezam ou excluem os outros pelo simples fato de não pensarem ou agirem da mesma forma. É consenso que a diversidade enriquece nossa sociedade, mas na prática, não é assim que acontece. Ainda temos muito o que amadurecer e caminhar para termos  um mundo mais acolhedor e que respeite as escolhas dos outros.

Assim, para além do bullying, este livro é um convite a olharmos o mundo de ponta-cabeça, a sair da zona de conforto, a pegar emprestado o olhar de alguém diferente de você e, a partir dele, olhar novamente para as coisas corriqueiras – percebendo coisas que não eram percebidas antes e encarando tudo de um outro ângulo. Parece simples, mas não é nada fácil – sobretudo na correria do dia a dia.

Respeito às diferenças: Conversando e lendo com os pequenos

Os momentos de brincadeira em família, o próprio olhar desnaturalizante da criança sobre a vida e, especialmente a literatura, podem ser ótimos meios de fazer esse exercício e ampliar nossa visão de mundo sobre as coisas, pessoas e sobre nós mesmos!

Morcego Bobo coloca os pequenos leitores de cabeça para baixo junto com os outros animais, acompanhando a trama. Quando eles finalmente se colocam (literalmente) no lugar do morcego, os pequenos tem que virar o livro para ler, tendo uma experiência interativa com o livro. Nesse momento, texto e ilustração ganham novos sentidos construindo o desfecho da trama – Ao se colocar efetivamente no lugar do outro, em uma postura empática, não há como permanecer o mesmo.

Confira também: 

Profile photo of Sarah Helena

Mãe da Cecília, formada em Psicologia, especialista em Filosofia, sempre trabalhou com famílias, especialmente com os pequenos. Por esse amor ao universo afetivo infantil, hoje, na Leiturinha, ela colabora fortalecendo o vínculo das famílias leitoras através da experiência da literatura.