Qual é seu maior medo? Imagine esse sentimento num cenário de imaginação fértil onde tudo fica muito maior e mais fabuloso do que realmente é, assim são os medos das crianças. Nós adultos, que diferenciamos fantasia de realidade, ainda assim às vezes alimentamos alguns medos, imagine o que se passa na cabeça de seu pequeno, quais são seus medos mais comuns.

As crianças sentem que aquilo que estão sentido é algo que realmente está acontecendo, que o monstro está mesmo embaixo da cama. Com o passar dos anos os medos vão diminuindo e mudam de forma. Veja quais são os medos mais comuns para cada fase e saiba como ajudar seu filho.

Até 1 ano

Pessoas estranhas podem assustar os bebês. Já por volta do primeiro ano, eles podem ter medo de ficar longe dos pais – esse medo se intensifica por volta dos 3 anos.

2 anos

Entendendo a relação de causa-efeito, a criança percebe que não tem controle sobre os outros e sobre o mundo, fica com medo de barulhos fortes como trovões, chuvas fortes e caminhões ou carros barulhentos. Além disso aqui começam os medos de criaturas imaginárias.

3 – 4 anos

Na fase da imaginação vem também muitos medos, especialmente de pessoas fantasiadas, escuro, monstros, insetos e de ficar sozinho.

5 anos

Os medos começam a ficar mais concretos, como de se machucar, de trovão, ladrão, medo de cachorro e de se perder dos pais.

6 – 7 anos

Diferenciando bem melhor realidade de fantasia, mas ainda assim com uma grande imaginação têm medo de criaturas fantasiosas, fantasmas, chuvas fortes, de ficar sozinhos e que algo ruim aconteça com os pais.

Fonte: Fundação Maria Cecília Souto Vidigal

Leia mais:

Profile photo of Ariane Donegati

Jornalista e entusiasta do desenvolvimento infantil, acredita que brincar é sinônimo de aprendizado e felicidade para as crianças.