Você já deve ter se frustrado ao ver seu bebê rasgar aquele livro ou aquela sua revista linda. Venho com condolências dizer, é normal. As crianças de zero a dois anos estão na fase Sensório-Motor, a primeira etapa do desenvolvimento descrita por Piaget. Nessa etapa os pequenos ainda não possuem controle pleno da sua motricidades, os movimentos ainda são rústicos e descontrolados, eles ainda estão sendo amadurecidos. 

Por isso, precisamos ter paciência quanto à coordenação motora e ao controle das mãozinhas. Além disso, os pequenos desta idade, ainda experienciam tudo o que lhe é novo por meio da boca, é a chamada fase oral. Isso faz com que o contato com o novo seja grosso, rápido e um pouco “desengonçado” o que pode danificar o objeto, nesse caso, o livro. 

A importância da mediação da leitura

Nos primeiros meses de vida, segundo o psicólogo Winnicott, ocorre a fase denominada “Dependência Absoluta”. Fase na qual o bebê se encontra em total estado de dependência da mãe que, quanto mais se envolve com o bebê e compreende suas necessidades, mais é capaz de suprir suas demandas e possibilitar que este se desenvolva de forma mais satisfatória. 

Sem a mediação da mãe (ou da pessoa que exerce esse papel) em relação ao mundo e aos objetos, o ambiente para que o bebê se desenvolva seria inexistente. Esta mediação é fundamental para que o bebê se potencialize em direção ao desenvolvimento possível. A dependência é a chave para que se possa compreender essa relação. Afinal, a mãe deve ser suficientemente boa para suprir as necessidades do bebê e apresentar o mundo de forma a não romper com o mundo interno fantástico cultivado pelos bebês internamente durante os primeiros meses de vida.

A adaptação do bebê em relação ao mundo será feita de maneira progressiva e sensível. O mesmo acontece com os livros, a mediação do adulto é fundamental para que os pequenos possam ter a compreensão de conceitos e também no desenvolvimento da resolução de certas tarefas, bem como na preservação dos seus objetos, como o livro.

Quando os bebês rasgam os livros: 5 dicas para a mediação de leitura para bebês

Mas, se mesmo com a mediação existir a dificuldade em relação ao manuseio dos livros, nós preparamos 5 dicas para te ajudar a ensinar seu bebê ser mais cuidadoso com os livrinhos:

1. Cuide dos seus livros e mostre ao seu pequeno que você ama seus livros! Exemplo é quase tudo!

Ao mostrarmos o que nós valorizamos para nossos pequenos, automaticamente eles aprendem o que importa e o que precisa ser cuidado. Por isso, mostre com ações que é necessário cuidar dos seus livrinhos

2. Conduza suas mãozinhas pelas páginas

Os bebês precisam de condução, de que nós adultos mostremos como manejar seus brinquedos. Segure suas mãozinhas e ensine a passar as páginas.  

3. Tenha livros resistentes

Livros cartonados ou de materiais como pano e banho, são ótimas opções para os pequenos da primeira infância. Eles são resistentes, não rasgam facilmente e podem ser usados na hora da brincadeira.

4. Ensine sobre limites 

Claro, os bebês ainda não os compreendem, mas, a partir do momento que eles começam a ter uma certa compreensão da linguagem, podemos dialogar sobre permissões, bons comportamentos e limites. Rasgar o livro não é legal. É nessa hora que podemos falar sobre valores e valorização do que temos, bem como sobre responsabilidades.

5. Rasgou? Vamos consertar!

Depois de rasgar, conserte o livro junto com seu bebê. Entender o ciclo das coisas é importante para que não repitamos os mesmos erros. Além disso, você estará ensinando muito sobre diversos valores para seu pequeno. 

Leia também:

Profile photo of Caroline Lara

Faz parte da Equipe de Curadoria da Leiturinha, é formada em Psicologia e mãe do Caetano. Leitora compulsiva, é apaixonada em provocar emoção, despertar a fantasia, entreter e alegrar pequenos através da literatura. Acredita que quanto menor nosso tamanho, maior a criatividade!