A importância dos livros na vida dos bebês

Costuma-se dizer que os primeiros anos de vida são aqueles que mais desenvolvemos. Nos dois primeiros anos, as estruturas cerebrais ainda estão sendo formadas e os estímulos vindos dos livros, são de extrema importância nesta fase. Ao mesmo tempo que a leitura entretém o bebê por meio da contação, das imagens e, algumas vezes, do formato do livro, ela também cria um ambiente rico em estímulos. Ouvir a voz cadenciada de quem conta a história, se torna um ritual prazeroso tanto para o cuidador, quanto para bebê, fortalecendo o vínculo entre eles.

Quais os livros mais adequados para bebês?

Todos! Claro, isso também depende muito da forma como a mediação é feita. Tratando-se do manuseio dos próprios bebês, existem alguns tipos de livros que são mais adequados para cada fase. Confira:

Primeiro ano de vida

No primeiro ano, os livros com contrastes em preto e branco prendem a atenção. Ainda nos primeiros meses, a visão dos bebês é limitada e precisa ser estimulada, por isso, ilustrações em preto e branco, com pequenos contrastes com uma única cor, fazem muito sentido. Os livros de pano também são efetivos, eles podem ser adotados como objetos de transição. Geralmente, os pequenos gostam de ter por perto objetos que diminuam a ansiedade quando sua figura de referência se ausenta, estes são os chamados objetos de transição. Nesta fase, a leitura deve ser entoada, acentuando as palavras unida às imagens.

Segundo ano de vida

A partir do segundo ano de vida, os livros brinquedos, fantoches e texturas, são ainda mais efetivos. Os pequenos já começam a se interessar por brincadeiras com uma certa organização, por isso, o livro dar os estímulos para sequenciar a diversão. Como já mencionado, o gênero textual ainda não influi muito na assimilação pela criança, a cadência da leitura e a forma de mediação são os determinantes neste momento.

Como ler com o meu bebê?

Não importa se o livro é de poesia, conto ou uma história completa – o segredo da leitura para bebês está na voz e na interação. Para isso, não existe certo ou errado, tudo depende da forma em que a relação é estabelecida entre mãe/pai ou cuidador e o bebê. Caso exista alguma dificuldade por parte do cuidador em mediar a história, uma dica é começar com cantigas populares – elas são fáceis de cantar e contar e os bebês interagem facilmente com elas.

Os estímulos visuais também são muito importantes. A visão dos bebês deve ser muito estimulada nos primeiros meses de vida, por isso, aponte as ilustrações e deixe-as ao alcance do campo de visão do seu bebê, isto é, entre 20-25 cm de distância dos seus olhinhos. Em relação aos  livros de pano ou banho, é propício conduzir a interação por meio do tato do bebê também, isto significa que você deverá favorecer que seu bebê toque e sinta os livrinhos. Assim, ele se apropriará ainda mais do seu objeto de leitura. A realidade é que o momento de leitura com o bebê vai muito além do material do livro ou do gênero literário escolhido. Este deve ser um momento especial recheado de interação, afeto e cuidado. Portanto, o principal segredo é: muita dedicação e amor! <3

Conheça 8 livros para bebês recomendados pela Leiturinha

Profile photo of Caroline Lara

Faz parte da Equipe de Curadoria da Leiturinha. É formada em Psicologia, leitora compulsiva e apaixonada em provocar emoção, despertar a fantasia, entreter e alegrar pequenos através da literatura. Acredita que quanto menor nosso tamanho, maior a criatividade!