Quem aqui não morre de saudades de quando era criança e passava horas e horas brincando? Esconde-esconde, bola de gude, boneca, pega-pega, carrinho de rolimã, amarelinha… Nossa, são tantas brincadeiras que fica até difícil lembrar de todas! Foi pensando na importância desse ato tão simples e gostoso que é brincar, que a Aliança pela Infância idealizou a Semana Mundial do Brincar que acontece entre os dias 20 e 28 de maio, com o tema “Brincar de corpo e alma”.

Mas afinal, o que é a Semana Mundial do Brincar?

A Semana Mundial do Brincar é uma semana de mobilização promovida por todos os núcleos da Aliança pela Infância no Brasil, com o intuito de lembrar os adultos sobre a importância das brincadeiras para o desenvolvimento de nossos pequenos. Dessa forma, educadores, pais, comunicadores, médicos e instituições privadas e governamentais promovem, todos juntos, uma semana com uma série de atividades – como  brincadeiras abertas para a comunidade, palestras e ciclos de debates – que buscam valorizar e lembrar a importância do Brincar.

Aliança pela Infância, o que é isso?

A Aliança pela Infância é um movimento mundial – Alliance for Childhood -, que busca refletir sobre os cuidados e a educação de crianças por todo o mundo. Esse movimento surgiu na Inglaterra, em 1997, a partir da preocupação de um grupo de pessoas com a situação da infância na atualidade, levando em consideração toda a falta de tempo e de espaço, o consumismo e as cobranças que rodeiam os pequenos e pequenas nos dias de hoje.

Brincando e Aprendendo

Além de propiciar a interação social, as brincadeiras são essenciais para o desenvolvimento dos pequenos em diversos aspectos. De acordo com Fernanda Veiga, Pedagoga da Leiturinha e especialista em relações interpessoais: “A percepção guiada pelo senso-comum, põe-se a interpretar o brincar como um momento apenas de ócio ou entretenimento. No entanto, através de pesquisas, podemos afirmar com toda a convicção que isto não corresponde à realidade. Quando os pequenos brincam, eles desenvolvem sua imaginação, sua capacidade de organização, assimilação de regras e execuções psicomotoras”.

Prova disso é que as teorias de desenvolvimento interpretam o ato de brincar como uma experiência para a formação da personalidade e não uma oposição às responsabilidades e ao aprendizado. De acordo com teóricos como Piaget e Wallon, brincar permite que a criança conheça o mundo à sua volta, os objetos e também os afetos e comportamentos humanos.  

Tempo para ser criança

Sabemos que, hoje em dia, nossos pequenos são cercados por atividades e elementos que em nossa época não existiam ou não eram tão comuns. Tais como as diversas tecnologias, horários completos por atividades extracurriculares, a abundância de informação e conteúdo, entre outros fatores (falamos mais sobre crianças e tecnologias nessa matéria: Geração Alpha).

Esse contexto é muito rico e proporciona inúmeras possibilidades e aprendizados. No entanto, nós adultos, também temos que valorizar os momentos livres em que as crianças podem soltar a imaginação, inventar brinquedos e brincadeiras, cantar, dançar e explorar o espaço ao redor. Pois esses momentos são tão importantes para o desenvolvimento dos pequenos, quanto as horas dedicadas aos estudos e demais tarefas diárias. Por esse motivo, também é papel da família, da escola e da sociedade como um todo proporcionar momentos em que os pequenos e pequenas possam se dedicar inteiramente ao ato de brincar! Afinal, não podemos nos esquecer de que as crianças precisam de tempo para serem crianças.

Gostou? Então conta aqui pra gente qual a brincadeira preferida do seu pequeno!

Profile photo of Ana Clara Oliveira

Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.