A mudança é algo natural na vida e, antes do que você imagina, seu pequeno cresce e vocês têm que começar a encarar alguns períodos de distância um do outro. À medida que o tempo passa, os pequenos começam a frequentar a escola e, cada vez mais, se distanciam do ninho familiar. Nesta fase, mamães e papais podem passar pela chamada síndrome do ninho vazio. É importante entender que esse é um processo natural e que, mais cedo ou mais tarde, você irá se adaptar com a nova rotina e a nova configuração familiar.

A preparação para a distância

Tanto para o pequeno, quanto para os pais, é inevitável que o primeiro dia longe seja doloroso. Mas, apesar de triste, este momento pode ser positivo tanto para você, quanto para seu pequenino. Para isso, é preciso que você mentalize e trabalhe com ele os aspectos positivos deste processo.

Um tempo para si mesma

Deixar que seu filho comece a frequentar a escola pode ser uma forma para que você volte a se ver como um indivíduo. Agora, você terá tempo para cuidar de si mesma, frequentando lugares que gosta ou poderá voltar a trabalhar, reafirmando seus gostos e sua independência.

A criança também irá evoluir com isso

Socializar fará muito bem para o seu pequeno! Convivendo com outras crianças e também com os adultos, ele irá evoluir ainda mais. As diferenças serão apresentadas a ele, assim como as regras, que farão com que ele aprenda mais sobre a vida em sociedade!

Dicas para lidar com separação e independência do seu pequeno

Ainda não está convencida? Separamos algumas dicas que podem te ajudar a lidar melhor com o crescimento e a independência do seu pequeno:

1. Sinta segurança

Converse com outros pais de crianças que frequentem a mesma escola que seu pequeno. Nos primeiros dias, você pode até visitar o lugar ou ligar para saber como seu pequeno está reagindo, mas não seja insistente. O importante é saber que seu pequeno está em segurança e confiar na autonomia dele!

2. Converse com seu filho

Lembre-se, apesar desse momento não ser menos dolorido para você, você é o adulto na situação. Então, passe segurança para seu pequeno, converse com ele sobre a nova rotina e tente transmitir tranquilidade, tanto nos dias anteriores, quanto no momento da despedida. Ressalte os pontos positivos e tente incentivar que ele goste da ideia, apontando as vantagens.

3. Ocupe sua cabeça

Enquanto seu pequeno estiver na creche ou na escola, foque no trabalho ou encontre alguma atividade que faça bem a você. Pode ser um curso do seu interesse ou uma atividade que você tenha vontade de fazer. Ir à academia, correr no parque ou desenvolver uma nova habilidade podem ser boas opções para minimizar o sofrimento.

4. Afaste os pensamentos negativos

Não fique imaginando coisas ruins. Depois que você se certificar que ele está em um lugar positivo, seguro e confiável, é improvável que algo negativo aconteça com seu pequeno. Converse com as pessoas com as quais ele estará na presença e não se apegue a ideia de que longe de você, ele estará em risco. Você faz o seu melhor e, na medida que o tempo passa, seu pequeno vai conquistar independência e será cada vez mais capaz de executar sua autonomia.

5. Busque apoio

Caso perceba que a situação está causando mais sofrimento do que deveria, procure alguém com possa dividir suas angústias e as do seu pequeno. Pode ser uma amiga, alguém da escola do seu filho ou um profissional adequado, como um psicólogo. Você é quem saberá a medida e o peso do que você e seu pequeno estão sentindo, e compartilhar sempre será uma ótima opção.

É preciso deixar crescer

Seu pequeno se emancipará cada vez mais dos seus cuidados e terá que partir rumo a descoberta da sua própria vida. Logo, a adolescência chegará e, com ela, as festas, as viagens e a saída de casa para cursar a faculdade. Mas não se preocupe com isso agora, na medida que os acontecimentos vão chegando, vamos aprendendo a lidar com as circunstâncias e percebendo que, apesar dos rumos que a vida toma, o laço fraterno nunca será desfeito e sempre teremos um lugar exclusivo no coração dos nossos eternos pequeninos.

Dica Leiturinha:

Como já falamos em outros momentos aqui no Blog da Leiturinha, a literatura infantil é sempre uma boa pedida para o enfrentamento de situações difíceis. Pensando nisso, a Equipe de Curadoria da Leiturinha, trouxe  uma história, que integrou o Kit mensal dos nossos pequenos leitores e que mostra a importância de alcançar a autonomia e descobrir nossa individualidade. Confira:  

Adelaide a canguru voadora

Adelaide: A Canguru Voadora

Autor e ilustrador: Tomi Ungerer
Editora: Aletria

Esta história é sobre a singularidade e o autoconhecimento de cada um. Neste livro, os leitores irão acompanhar a saga de Adelaide, uma canguru que nasceu com asas! No começo Adelaide e sua família sofreram muito com sua capacidade de voar para longe. Mas logo Adelaide descobriu que suas *asas eram* incríveis e que, por causa delas, ela conheceria lugares e pessoas maravilhosas!

Leia mais:

Profile photo of Caroline Lara

Faz parte da Equipe de Curadoria da Leiturinha, é formada em Psicologia e mãe do Caetano. Leitora compulsiva, é apaixonada em provocar emoção, despertar a fantasia, entreter e alegrar pequenos através da literatura. Acredita que quanto menor nosso tamanho, maior a criatividade!