A importância dos gestos na comunicação com o bebê

por | jan 5, 2021 | 0 Comentários

Você sabe a importância dos gestos na comunicação com o bebê? No início da vida de um pequeno ou pequena, os gestos são uma das principais ferramentas de comunicação com o mundo. E o uso desses sinais começa bem antes da fala. Quer saber mais? Confira!

Por que utilizar gestos para conversar com o bebê?

Além do choro, do sorriso e outras expressões faciais, os bebês logo aprendem a se comunicar através de gestos e pequenos balbucios. É comum, por exemplo, que as crianças estendam os braços quando querem colo ou apontem para os objetos que desejam. E esses sinais, além de facilitarem a comunicação com os pequenos e pequenas, podem ajudar na conexão com bebê e até na aquisição de vocabulário.

Isso acontece porque a comunicação verbal e visual andam juntas. E ambas são extremamente importantes no desenvolvimento infantil. Nesse sentido, também é necessário que os pais interpretem os gestos comunicativos dos bebês. Além disso, é bastante interessante que os adultos façam gestos quando falam ou mostram objetos para seu pequeno ou pequena. Afinal, atitudes como essa deixam a comunicação muito mais rica

Quanto mais as pessoas que convivem com o bebê trabalham nessa interpretação dos sinais, mais passam a entender o que o bebê diz, minimizando sentimentos como frustração e descontentamento. Os gestos podem ser para mostrar algo, sinalizar um sentimento ou pedir um objeto, por exemplo. A troca de olhares e o desvio de foco em direção a um objeto também contribuem para a compreensão do que o bebê quer comunicar. Assim, mesmo antes da fala, os pequenos e os adultos já podem começar uma conversa, mesmo que sem o uso das palavras!

Quando utilizar gestos para se comunicar com o bebê?

Com cerca de 6 meses de idade, a maioria dos bebês já aprende a fazer o gesto de alcançar, que utilizam durante um bom tempo. Já aos 9 meses, o pequeno ou pequena começa a demonstrar mais suas vontades. Por isso, é esperado que a partir daí comecem a surgir novos tipos de interações, principalmente em relação a objetos. É o caso do gesto de apontar, acompanhado muitas vezes do “Dá!”.

No entanto, vale lembrar que, durante o desenvolvimento da fala, é preciso estimular que esses gestos sempre acompanhem palavras. Por exemplo, se o bebê aponta para algo que ele quer, os pais ou responsáveis devem perguntar: “O que você quer? A boneca? Qual a cor da boneca? Essa? Ou aquela?”. Dessa forma, os adultos garantem que os bebês não conseguirão tudo o que querem somente pelo fato de apontar para o objeto.

Algumas brincadeiras, inclusive, podem auxiliar no desenvolvimento da fala. Através do estímulo dos sentidos, é possível trabalhar a imaginação, a criatividade, o vocabulário e o diálogo, por exemplo. Além disso, músicas e cantigas também podem trabalhar a consciência fonológica, ou seja, a habilidade de manipular os sons e as palavras corretamente.

Por fim, apesar da sinalização ser uma ferramenta importante para as crianças menores, para a maioria dos pequenos e pequenas ela não deverá substituir o idioma. Ao contrário, estudos indicam que a utilização de gestos e sinais pode acelerar o processo de fala. Já no caso das crianças com deficiência auditiva, é importante procurar profissionais que apoiem os pais e responsáveis na apresentação da Língua Brasileira de Sinais (Libras) e da cultura e identidade surda.

Gostou de aprender um pouco mais sobre a importância dos gestos na comunicação com o bebê? Aqui no Blog Leiturinha, você encontra muitos textos para apoiar o desenvolvimento do seu pequeno ou pequena! Acesse e confira!

Neste ano, que tal viver as melhores histórias com o seu bebê? Faça parte do maior clube de livros infantis do país e leve a leitura desde cedo para sua casa! Acesse o site do Clube Leiturinha e escolha o plano ideal para sua família!

Leia mais:

Categorias:
0 - 3 | Bebê
Escrito por Flávia Puccini
Fonoaudióloga, mestre em processos e distúrbios da comunicação e especialista em motricidade orofacial. É consultora de amamentação e laserterapeuta. * Flávia é nossa autora convidada e seus textos não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Leiturinha.
Relacionados
Meu filho tem medo de fogos de artifício. O que fazer?

Meu filho tem medo de fogos de artifício. O que fazer?

Celebrar a chegada do Ano Novo costuma ser uma tradição entre a maioria das famílias. No entanto, essa celebração não passa despercebida para quem tem um bebê em casa. Pelo contrário, pode gerar ansiedade e preocupação para muitos pais e responsáveis. Afinal, além de...

A importância de ensinar gratidão às crianças

A importância de ensinar gratidão às crianças

Ensinar gratidão é fundamental. Agradecer um presente, dizer "Bom dia!" ao chegar em um lugar e dar "Tchau!" antes de ir embora, por exemplo. Essas são simples ações do dia a dia! E, por meio delas, incentivamos que as crianças sejam pessoas educadas e que respeitem...

Meu filho tem medo de fogos de artifício. O que fazer?

Meu filho tem medo de fogos de artifício. O que fazer?

Celebrar a chegada do Ano Novo costuma ser uma tradição entre a maioria das famílias. No entanto, essa celebração não passa despercebida para quem tem um bebê em casa. Pelo contrário, pode gerar ansiedade e preocupação para muitos pais e responsáveis. Afinal, além de...

A importância de ensinar gratidão às crianças

A importância de ensinar gratidão às crianças

Ensinar gratidão é fundamental. Agradecer um presente, dizer "Bom dia!" ao chegar em um lugar e dar "Tchau!" antes de ir embora, por exemplo. Essas são simples ações do dia a dia! E, por meio delas, incentivamos que as crianças sejam pessoas educadas e que respeitem...

11 lições do filme O Começo da Vida 2: Lá Fora

11 lições do filme O Começo da Vida 2: Lá Fora

Em 2016, o filme O Começo da Vida passou pelos quatro cantos do planeta e reforçou a importância dos primeiros anos de vida na formação dos seres humanos. Agora, em O Começo da Vida 2: Lá Fora, a equipe busca explicar por que as conexões entre as crianças e a natureza...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *