Promoção da liberdade e da autonomia, autodisciplina, estímulo às capacidades sensoriais, ambientes adaptados e acessíveis e respeito a si mesmo e aos outros. Essas são algumas características do Método Montessori, que vai da pedagogia à arquitetura, em busca de explorar e desenvolver todo o potencial dos pequenos e pequenas. Idealizado e difundido em 1907, pela médica italiana Maria Montessori, o método acredita que os pequenos já nascem com um potencial extraordinário e, cabe ao adulto preparado identificar e respeitar o momento da criança, auxiliando com amor e compreensão para que ela desenvolva plenamente suas habilidades.

Nomeada três vezes ao Prêmio Nobel da Paz, Maria Montessori era uma mulher a frente do seu tempo. Além de ser uma das primeiras mulheres a se formar em medicina na Itália, ela também estudou biologia, psicologia e filosofia. Hoje, seu método já é utilizado por educadores, escolas e pais que buscam entender e acompanhar cada fase do desenvolvimento dos seus pequenos.

Mas afinal, no que consiste o Método Montessori?

Partindo da premissa de que todas as crianças já nascem com um enorme potencial e que cabe a nós, adultos, estimular, explorar e desenvolver este potencial, desde os primeiros anos de vida, surge a questão: Como fazer isso?

Para Maria Montessori, entre os 0 e 6 anos, os pequenos estão em uma fase que ela denomina de Espírito Absorvente, em que eles vivem períodos sensíveis e absorvem naturalmente tudo que os envolvem. Portanto, segundo o método, os adultos precisam considerar três pontos na educação das crianças:

1. A criança aprende por si mesma, segundo o seu processo natural de desenvolvimento e períodos sensíveis.

2. Cada uma possui o seu próprio ritmo.

3. O ambiente deve ser propício ao aprendizado e também deve atender às necessidades especificas da criança.

Esses pontos são considerados e aplicados em escolas que seguem o Método Montessori e, também, em famílias que inserem a metodologia na rotina da casa com os filhos.

Por crianças mais independentes

Seja na escola ou em casa, um dos pontos principais do Método Montessori é o estímulo e a promoção da autonomia. Para isso, é importante que os adultos incluam, desde cedo, os pequenos nas atividades diárias da casa, como as tarefas domésticas por exemplo. Dessa forma, as crianças passam a compreender melhor a rotina, seu papel na família e suas próprias habilidades. Outra questão é mostrar opções ao pequeno e incentivá-lo com palavras de apoio, como “Eu sei que você pode fazer isso sozinho”. Isso terá influência para que ele se torne uma pessoa mais autoconfiante e segura.

De acordo com o método, é possível estimular a independência das crianças, seguindo três princípios fundamentais:

1. Criar um ambiente acessível.

2. Mostrar ao seu filho como fazer as atividades diárias que levam à independência.

3. Conciliar o seu tempo com a criança e com suas atividades diárias.

O Método Montessori nas escolas

Diversas escolas pelo mundo adotam o Método Montessori na educação de crianças. A educação segundo este método tem como base o desenvolvimento de princípios positivos nas crianças, tais como:

1. O amor ao trabalho: isso significa que não há limitações ou imposições na educação Montessori. Dentro de sala de aula, as iniciativas espontâneas tomadas pela criança são respeitadas e o aluno montessoriano trabalha o tempo todo. Ele mesmo é autor do seu aprendizado e a sua concentração equivale ao seu amor por chegar ao fim de cada exercício.

2. A autonomia: segundo o método, o aprendizado autônomo é fundamental na educação de uma criança. Por isso, todo o ambiente é preparado para que os pequenos desenvolvam seu potencial. Cada objeto presente em uma sala Montessoriana,  assim como a sua disposição pelo ambiente, são pensados na e para a criança, de modo a possibilitar o desenvolvimento da autonomia.

3. O respeito a si mesmo e aos outros: a pedagogia Montessoriana favorece e estimula o respeito e o cuidado pelo ambiente. O respeito pelo material e pelo trabalho dos outros também  é incentivado desde cedo.

4. As capacidades sensoriais: Os materiais oferecidos na metodologia Montessori buscam desenvolver todos os sentidos das crianças (o tocar, o ouvir, os cheiros, a visão e o paladar). Assim, a criança descobre por si mesma, conceitos matemáticos ou físicos, por exemplo, por meio de atividades sensoriais.

5. A autodisciplina: O ambiente estimula a criança a se controlar, dominar seus gestos, seus deslocamentos e sua energia. Encorajando, em conjunto com o método, o aprendizado e a autodisciplina da criança.

A Liberdade de Escolha do Trabalho

Outra característica importante da educação Montessoriana, é a escolha livre de trabalho. Para Maria Montessori, somente através do trabalho livre, a criança poderá revelar sua natureza, seus interesses, seu talento e criatividade, reconhecer-se e desenvolver-se. As características do trabalho livre são:

1. Ambiente preparado, com atmosfera positiva e pacífica.

2. Liberdade da criança na escolha de prioridades de trabalho e também na forma social de trabalho (sozinho , com um parceiro ou em grupo).

3. Relação de confiança entre adulto e criança.

O material Pedagógico Montessori

O material pedagógico Montessoriano também é diferenciado e de fundamental importância para a aplicação do método. Cientificamente elaborados, os materiais são sensoriais, estéticos, adaptados ao tamanho dos pequenos, baseados no controle de erro para que a criança possa corrigir a si mesma, e com isolamento de qualidades, ou seja, apresenta apenas uma dificuldade por atividade.

Método Montessori em casa: dicas práticas para aplicar a metodologia com os pequenos

Para pais e mães que se identificam com a proposta do Método Montessori, além de existir a possibilidade de matricular o pequeno em uma escola que siga essa metodologia, também é possível incluir os princípios em casa. Para isso, antes de mudar o olhar sobre a criança, é preciso mudar o estado de espírito enquanto pais. Se você se interessou pelo assunto e quer inserir a metodologia na rotina com os pequenos, o primeiro passo é ter e demonstrar confiança no seu filho. Outros pontos importantes são: adaptar os ambientes da casa para promover a autonomia da criança, incluí-la nas tarefas diárias e ensiná-la a manusear os objetos necessários, e respeitar a atividade espontânea e os períodos sensíveis do desenvolvimento do pequeno.

Adaptando a casa e o cantinho da leitura do pequeno, de acordo com o Método Montessori

Conversamos com Cynthia Spaggiari que, além de arquiteta, é coordenadora da Equipe de Curadoria da Leiturinha e mãe de Giovanna, 20, Otto, 9, e Antônio, 5. Ela elencou alguns pontos importantes para adaptar os ambientes da casa de acordo com a perspectiva Montessoriana. Cynthia ressalta que “​para que um espaço seja adaptado aos pequenos devemos ​ter como principal atenção ​a sua liberdade e independência. Se a criança quer água, pode pegar sozinha; quer trocar de roupa, consegue acessar seu armário; quer brincar, os brinquedos são de fácil acesso. É preciso que o espaço se relacione com a criança sem ser necessária a intermediação de um adulto”.

Se você está pensando em adaptar os cômodos da sua casa baseado nesses princípios, mas não sabe por onde começar, Cynthia Spaggiari preparou algumas dicas que podem ajudar!

O quarto do pequeno

O quarto não deve ter apenas a função de dormir. O quarto é o espaço do pequeno e, por isso, é importante deixá-lo atrativo e o mais acolhedor possível. Confira algumas dicas para adaptar o quarto do seu filho:

– Lembre-se que o espaço não deve ser para a criança, mas da criança. Portanto, é fundamental que prateleiras, cama e estantes estejam ao alcance do pequeno, promovendo, assim, sua autonomia.

– Crie espaços que possibilitem desenvolver várias atividades.

– Invista em harmonias de cores nos móveis e paredes, utilizando tinta, papel de parede ou até mesmo adesivos.

– Não se esqueça que o quarto do pequeno deve ser o mais ensolarado e ventilado da casa. Além disso, a escolha dos produtos deve levar em consideração o acúmulo de ácaros.

– Siga a máxima: “menos é mais”.

O cantinho da leitura

Um cantinho de leitura não pode faltar! Nele é necessário muito conforto para que o tempo lá seja sempre muito prazeroso! Confira algumas dicas para adaptar o cantinho da leitura em sua casa:

– É importante que haja um local acessível para o pequeno deitar ou se sentar.

– Invista em iluminação bem aconchegante que garanta uma experiência ótima para a leitura, com a intenção de que a rotina da leitura seja sempre buscada durante a vida da criança.

– Faça pequenas alterações no ambiente no decorrer do tempo, levando em consideração cada etapa de desenvolvimento da criança.

Leia também:

Profile photo of Ana Clara Oliveira

Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.