Então chega o tão sonhado dia de ir pra casa com o bebê. E agora? Com os primeiros dias do filho em casa, podem chegar também uma série de dúvidas, medos e fantasias, deixando os pais bastante ansiosos.

A chegada do bebê em casa muda tudo, desde a rotina da família até as relações entre as pessoas. Nesse período ocorre uma reorganização de papéis e funções que demandam paciência e disposição de todos os envolvidos para que a adaptação do bebê ocorra de maneira tranquila.

É um período intenso, delicado, repleto de expectativas e idealizações que precisam ser analisadas e, muitas vezes, reformuladas para que mãe e pai possam assimilar a nova realidade e vivenciar esse momento da melhor maneira possível.

Tudo muda…

Toda a rotina da casa é alterada para receber o recém-nascido. Mudam-se os horários do sono, das refeições, do banho, não existe mais tempo livre. Para a mãe é difícil estabelecer uma rotina nesse período, pois o bebê ainda não tem os horários bem definidos e ela precisa acompanhar o ritmo do filho. É natural que ela fique completamente em função do bebê e dessa forma esteja menos disponível às atividades do dia a dia.

Além disso, ocorre a mudança de papéis. Antes existiam marido e mulher, profissionais e filhos, agora, passa também a existir pai e mãe. Com as novas funções, vem uma série de responsabilidades e cobranças (na maioria das vezes, auto cobrança) que podem atrapalhar a relação com o bebê. Costumam aparecer também palpites e conselhos de outras pessoas e, para os pais, saber conciliar essas opiniões às vontades do bebê e à realidade que vivem pode ser algo difícil nos primeiros meses.

Calma é fundamental nesse período. O desejo de serem pais perfeitos e não errarem nunca é comum a todos. No entanto, a maternidade e a paternidade não acontecem da noite para o dia, esse é um processo de aprendizagem que ocorre a partir da experiência. Existirão erros e acertos no caminho, mas, com a vivência do dia a dia, os pais certamente conseguirão desempenhar bem seus novos papéis.

11 dicas para ajudar pais e mães no momento da chegada do bebê em casa

1. Organize a casa com antecedência – o espaço deve ser preparado para receber o bebê antes que ele chegue.

2. Faça uma lista de prioridades – cuidar de um bebê e da casa, por exemplo, pode ser uma tarefa bastante difícil, por isso escolha as atividades com as quais se preocupar.

3. Tenha uma pessoa para ajudar – como a mãe geralmente fica em função do bebê, é importante que ela tenha alguém com quem contar para auxiliá-la em outras atividades (refeições, roupas e tarefas domésticos entre outras coisas).

4. Não tenha medo de errar e nem de pedir ajuda.

5. Evite comparações – a maternidade e a paternidade são experiências pessoais.

6. Encorajamento – mesmo com algumas dificuldades, é fundamental que os pais se sintam confiantes para realizarem suas funções.

7. Evite cobranças, comentários e atitudes críticas – lembre-se que o erro faz parte do processo.

8. Evite pensamentos idealizados – muitas vezes, abrir mão das expectativas pode ser o primeiro passo para se adaptar às mudanças. Planos e realidade nem sempre combinam.

9. Procure esclarecer dúvidas com um profissional indicado (obstetra, pediatra, enfermeira, psicóloga, fonoaudióloga, entre outros).

10. Conversem – a fase de adaptação é importante para o casal e ambos podem ter os mesmos receios, dúvidas e expectativas.

11. Tenha paciência – evite se cobrar demais e dê tempo para a adaptação. Tranquilidade, disposição, paciência, força de vontade e amor fazem parte da maternidade e paternidade bem-sucedidas.

Leia também:

Profile photo of Flávia Carnielli

Mãe da Maria Clara, mestre em psicologia clínica, especialista em psicologia perinatal e formada em psicoterapia infantil. * Flávia é nossa autora convidada e seus textos não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Leiturinha.