Após a declaração de 11 de março de 2020 da Organização Mundial da Saúde de que estávamos vivendo uma pandemia, a rotina das pessoas mudou muito. A pandemia trouxe diversas ameaças, perdas, medo, impacto econômico e o isolamento social. Tudo isso trouxe prejuízos na saúde mental de crianças, adolescentes e adultos. Mas como cuidar do emocional nesses tempos de pandemia?

As emoções durante a pandemia

É comum nesse período termos várias emoções como medo, tristeza, raiva. Regular as emoções é a forma que temos para processar e definir o que sentimos e os motivos. Com tantas preocupações e mudanças repentinas, podemos ter mais dificuldade na regulação das emoções, levando mais tempo para voltar a ficar bem.

O mesmo pode acontecer com as crianças. De repente, deixaram de ir para escola, de ter contato com os professores, colegas. Isso pode ser difícil de aceitar. Para elas, entender o que sentem por si só já é um grande desafio.

Os impactos na saúde mental são grandes

Sentimos os impactos na saúde mental durante a pandemia. Os adultos e as crianças estão cada vez mais apresentando quadros de estresse, ansiedade, pânico, depressão. Segundo a declaração da OMS, em maio desse ano, “o impacto da pandemia na saúde mental das pessoas já é extremo. O isolamento social, o medo de contágio e a perda de membros da família são agravados pelo sofrimento causado pela perda de renda e, muitas vezes, de emprego.” 

Conte com uma ajuda profissional 

Existem muitos profissionais capacitados para lhe dar apoio nesse momento de pandemia, seja através das consultas presenciais ou online. Tanto psicólogos quanto psiquiatras. Os psicólogos atendem através da psicoterapia em que o seu principal instrumento  com os adultos, é a fala. Já com as crianças, é através do brincar terapêutico. Os psiquiatras indicam de acordo com cada caso, tratamento com o uso de medicamentos.

O importante neste momento é buscar ajuda, caso note que algo não está bem com o seu emocional ou das crianças. 

Leia mais:

Profile photo of Elen Montanari

Mestre em Saúde, Psicóloga e Pedagoga. Atua como psicóloga clínica e orientação parental. Apaixonada pela infância, pelo universo infantil, pela ludicidade, pela leitura e pelo brincar, pois acredita que a infância é a fase mais rica no desenvolvimento do ser humano, formará o futuro adulto. *Elen é nossa autora convidada e seus textos não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Leiturinha.