Seja porque a licença maternidade acabou e os pais não têm com quem deixar o bebê, porque decidiram por isso ou porque chegou a hora. Não importa as razões ou a idade da criança, a escolha da escola é sempre um momento delicado para muitas famílias. E não é para menos, afinal, é ali que os pequenos vão passar ao menos quatro horas do seu dia e, ainda que a escola não seja 100% responsável pela educação dos nossos filhos, é nela que eles vão construir e aprender muito do que serão no futuro. Por isso, nessa hora surgem tantas dúvidas e inseguranças, e a pergunta que fica é: como escolher a escola do meu filho?

Para transmitir segurança ao seu pequeno, você precisa estar seguro antes

Uma coisa é certa: para que a adaptação escolar seja tranquila, tanto para o seu pequeno, quanto para você, é muito importante que você confie na escola que escolheu. Os adultos precisam se sentir seguros e confortáveis para proporcionar segurança e tranquilidade para o pequeno, porque se para você este momento é complicado, imagine para ele que pela primeira vez está saindo dos cuidados dos familiares e do ambiente já conhecido, para o completo novo. Se você não estiver bem com sua decisão, com certeza ele vai sentir e pode ficar mais inseguro, dificultando o processo.

Por outro lado, é importante que os pais cuidem para que suas exigências não sejam desmedidas e fruto de sua própria dificuldade e receio de desapegar do convívio contínuo com o pequeno. Por mais que seja natural para os pais terem medo e dúvidas neste momento, é importante entender que o convívio social durante os primeiros anos de vida trazem inúmeros benefícios às crianças, como ensinar a seguir uma rotina, desenvolver a linguagem e a autonomia, a entender as regras e que tudo tem sua hora.

Mas, afinal, o que levar em conta no momento da escolha da escola do meu filho?

Localização, estrutura, proposta pedagógica, valor da mensalidade, carga horária, segurança, formação dos professores… Se você está passando por este momento em casa, primeiro é importante limitar as opções que atendem às expectativas e necessidades de sua família.

A escola precisa ser perto de casa? Ou perto do seu trabalho? Precisa ser pública ou pode ser particular? Se for particular, até que valor? Precisa ser em tempo integral ou pode ser meio período? Se for meio período, o ideal é à tarde ou pela manhã?

Após listar isso, vocês conseguem limitar o número de possibilidades, por ordem prática. Aí é o momento de pensar em outras questões que dizem respeito aos valores de sua família e do que você quer para a infância do seu filho. Uma escola mais liberal ou mais conservadora? Alguma linha pedagógica específica? Qual? Uma estrutura mais espaçosa e com bastante verde e espaço aberto ou um prédio mais convencional? Turmas maiores ou menores?

A hora da visita!

Após pesquisarem e conversarem sobre todos esses pontos e limitarem as opções, é hora da visita! Por mais que vocês estejam muito certos, em teoria, sobre o que esperam da escola para o seu filho, é no contato que você vai sentir se é isso mesmo. Agendem uma visita e já pensem previamente se têm alguma questão sobre o que pesquisaram da escola. Este será o momento de perguntar e sanar dúvidas, além de sentir como é o acolhimento da equipe escolar para ter certeza de que essa é a melhor opção. Também vale procurar lugares que você já ouviu falar antes ou que até já conheça pais que matricularam seus filhos ali. Isso traz mais segurança.

Outro ponto muito importante é o processo de adaptação escolar, em que a presença e participação dos pais é fundamental. Nos primeiros dias, a família pode ir introduzindo a criança no ambiente escolar aos poucos e, inclusive, ficando por algumas horas ou até o dia todo junto. Além de suavizar esse processo, a participação dos pais é muito importante para que escola e família estejam próximos e alinhados. 

Mas a realidade é que, por mais que este seja um momento muito importante e até delicado para as famílias, é importante saber que sempre se pode mudar de ideia. Se você matricular seu pequeno e com o tempo sentir que não foi exatamente como pensou, você sempre terá a opção de mudar de escola. Mas não se esqueça, na maioria das vezes, esse processo de adaptação escolar é mais difícil para os adultos do que para as próprias crianças. Com o tempo, vocês vão descobrir que a nova rotina vai trazer muito aprendizado para as duas partes, colaborando para o desenvolvimento do seu pequeno e para mais tempo de qualidade e trocas entre vocês!

Conheça 7 linhas pedagógicas e descubra qual escola escolher para seu filho

Tradicional, Comportamentalista, Construtivista, Democrática, Montessoriana, Waldorf, Freiriana… Para auxiliar pais que estejam ainda em dúvida sobre qual a melhor opção para seu pequeno, nós reunimos aqui sete das principais linhas pedagógicas adotadas nas escolas brasileiras. Dessa forma, vocês poderão entender melhor as diferenças entre cada uma delas e escolher uma escola que adote aquela ideologia que se adequa melhor ao que você espera para a educação do seu pequeno. Confira 7 linhas pedagógicas e descubra qual escola escolher para seu filho!

E você? O que leva em consideração na hora de escolher a escola para seu filho? Como foi este processo? Conte para a gente aqui nos comentários!

Profile photo of Ana Clara Oliveira

Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.