Lidar com as frustrações não é fácil. A criança está passando por uma fase de birras? Esse comportamento pode, na verdade, estar refletindo as ansiedades e medos dela. Sem conseguir ou saber se comunicar, ela encontra nos ataques de “birra” uma forma de chamar atenção para algo.

As frustrações são necessárias para aprender a lidar com os diversos “nãos” que recebemos ao longo da vida. Mas não basta negar as coisas para a criança. Explique o porquê daquela resposta, assim fica mais fácil para ela ter consciência sobre o que está acontecendo, transformando a proibição em aprendizado.

O que é a frustração?

Frustração nada mais é do que uma emoção que aparece quando nosso caminho em direção a um desejo/objetivo é bloqueado. Em um primeiro momento, é a frustração que nos dá a motivação para remover esse obstáculo. Por isso, a frustração não pode ser considerada apenas como algo negativo. O problema surge quando, mesmo com essa “disposição extra” para se esforçar que a frustração gera, ainda não liberamos o caminho. Nessa situação, ela rapidamente se torna raiva, sentimento difícil de lidar.  Portanto, o foco para se aprender a lidar com a frustração é justamente aproveitar seu momento “produtivo”. Assim, ela serve de estímulo e evita-se que se transforme em raiva.

Causa e consequência

Seu filho pode insistir para comer só a sobremesa ou doces e biscoitos. Já você, por outro lado, insiste para que ele coma o que você colocou na mesa. A briga começa. Nesse momento tente evitar o “se você não comer, vai ficar de castigo”. Que tal tentar “você tem duas opções, pode comer o almoço e, depois, a sobremesa ou não comer o jantar e ficar também sem sobremesa”? Dando uma opção, mesmo que limitada, você está mostrando para a criança que ela tem sim duas opções e que ela será a responsável pelo que optar.

Isso torna o processo mais fácil? Nem sempre! Você pode dar a opção e ela ainda assim chorar e se irritar. No entanto, dessa vez seu argumento não será mais de que você, adulto, fez a escolha por ela e aplicou uma consequência. Mas sim que a criança fez sua escolha e, por isso, as consequências surgiram. Essa compreensão é um bom passo para se aprender a lidar com a frustração.

Leia também: