Aniversário da Leiturinha, os melhores descontos pra incentivar a leitura infantil. Vem pro Clube! Assine agora

A adolescência dos bebês: descubra como lidar com os terrible twos

por | fev 26, 2022 | 24 Comentários

Você sabe o que são os terrible twos? De uma hora para a outra, aquele anjinho ou anjinha, que até outro dia era só amor e carinho, decide que a sua nova palavra favorita é “não”. Além disso, desenvolve alguns hábitos um tanto quanto difíceis de lidar, como se jogar no chão ou fazer a maior birra diante de uma frustração! 😩 Seja por não conseguir colocar as próprias meias, não poder escalar um móvel da casa ou não ganhar uma comida que deseja, por exemplo.

Se você se identificou com alguma dessas situações, é provável que seu pequeno ou pequena esteja passando pela adolescência dos bebês, fase também conhecida como terrible twos ou os terríveis dois anos. Por isso, vamos conversar sobre o tema e descobrir como lidar com essa fase tão desafiadora do desenvolvimento infantil? Acompanhe!

Leia mais:
👉 Meu bebê não dorme: o que fazer?
👉 Como ensinar seu filho a lidar com as emoções?
👉 O que fazer quando a criança tem ansiedade de separação?

O que são os terrible twos?

De forma geral, os terrible twos podem acontecer entre 1 ano e meio e 3 anos de idade, quando os pequenos e pequenas ainda são chamados de toddlers. 👶 No entanto, essa fase costuma ter seu auge justamente quando os bebês completam 2 anos.

Neste momento, a criança passa a se perceber como um indivíduo, com desejos e opiniões próprias. Por isso, ela sente uma enorme necessidade de tomar decisões e fazer escolhas por si mesma. E isso faz com que, muitas vezes, os pequenos e pequenas se oponham às solicitações dos adultos.

Contudo, como os bebês ainda estão compreendendo suas emoções e sentimentos, ser contrariado também pode ser motivo para espernear, choramingar, se irritar e até gritar, por exemplo. Nesse sentido, a tranquilidade de outrora costuma ser substituída por uma explosão de rebeldia! 💥

Ao mesmo tempo, o pequeno ou pequena se desenvolve tão depressa, que você se pega o tempo todo surpreendido(a) com sua autonomia, não é mesmo? Ou, então, com suas frases e perguntas espertas, que deixam qualquer adulto encantado. Por tudo isso, os terribles twos costumam ser uma fase desafiadora, mas muito importante para o desenvolvimento infantil!

4 dicas para lidar com os terrible twos

De fato, não é nada fácil lidar com os altos e baixos dos terrible twos. Mas nós queremos ajudar: preparamos uma série de dicas para pais, mães e pessoas responsáveis lidarem melhor com essa fase tão cheia de emoções. Confira!

1. Organize a rotina com as crianças

A chance dos pequenos e pequenas ficarem irritados, e até explodirem em uma birra, é maior quando eles estão cansados, com fome ou frustrados. Por isso, manter uma rotina saudável e organizada diminui o estresse e a agitação dos bebês. Sobretudo, aquelas que estão passando pelos terrible twos.

Dessa forma, uma sugestão é estar sempre prevenido(a), com lanchinhos e frutas na bolsa. 🍎 Principalmente, se vocês forem ficar muito tempo fora de casa. Além disso, procure planejar o dia a dia da família, para que seu pequeno ou pequena não fique muito tempo sem dormir ou sem comer. Com certeza, isso deixará seu bebê mais tranquilo!

2. Acalme os pequenos e pequenas

Quando o bebê ficar irritado, por qualquer que seja o motivo, escolha conversar com calma. É fundamental manter a tranquilidade no momento de lidar com alguma birra ou frustração dos pequenos e pequenas. Afinal, você é o adulto e deve administrar a situação como maturidade, tudo bem? 😉

Para isso, explique com clareza que você entende os sentimentos da sua criança. Se possível, se abaixe e olhe nos olhos dos pequenos e pequenas. No entanto, explique por que ela não pode fazer determinada ação, já que pode se machucar, por exemplo. Então, ofereça alternativas, se coloque à disposição para ajudá-la ou tente distraí-la com músicas ou histórias.

Lembre-se de que o diálogo é sempre o melhor caminho para resolver conflitos, seja com adultos ou crianças. Além disso, conversar e não “bater de frente” ajuda o bebê a se acalmar e, aos poucos, compreender melhor suas próprias emoções.

3. Seja paciente e respeitoso(a)

Por mais difícil que seja manter a calma, é muito importante se esforçar para ser paciente com as crianças, sobretudo durante uma crise. Afinal, os terrible twos são apenas uma fase e muitos bebês passam por ela para construir sua identidade. Portanto, apesar de cansativa, é também uma fase fundamental para o desenvolvimento infantil.

Por isso, saiba que o seu pequeno ou pequena não age de tal forma apenas para te provocar, como se agisse de propósito. Faz parte do processo testar os limites dos pais, mães e pessoas responsáveis e buscar autonomia e independência, ainda que nas pequenas ações do cotidiano. Como ao se vestir, comer ou tomar banho sozinho(a), por exemplo.

Então, quando o bebê fizer uma birra, trate-o com respeito e carinho. Tente ver a situação através da sua perspectiva e lembre-se de acolher os pequenos e pequenas. ❤️ Gritar, ameaçar e até agredir as crianças são comportamentos violentos e não devem fazer parte do dia a dia de nenhuma família.

4. Não poupe carinhos, abraços e beijinhos

Em alguns casos, o bebê pode ficar tão nervoso e frustrado que machuca os outros e a si mesmo. Nesse momento, uma opção que pode funcionar é abraçar, pegar no colo e confortar os pequenos e pequenas. 🥰 Reforce que você entende que ela está sofrendo e que você está ali para ajudá-la. Então, faça carinho e dê beijinhos. Pouco a pouco, ela irá se tranquilizar.

No entanto, se você tentar trazer a criança para os seus braços e ela continuar agitada, deixe-a se acalmar. Se ela não estiver confortável, permita que ela fique mais afastada e não force os pequenos e pequenas a nada, ok?

“O melhor a fazer é esperar o momento crítico passar, sem dar muita atenção à criança. Normalmente, quando a birra acaba, elas sentem-se carentes e pedem colo”, afirma Sarah Helena, psicóloga, curadora na Leiturinha e mãe da pequena adolescente Cecília, de 1 ano e meio.

De forma geral, as birras acontecem porque o pequeno ou pequena não consegue lidar com suas próprias emoções, extravasando sua exaustão com choros e gritos. Por isso, depois que a criança estiver mais calma, aproveite este momento para conversar sobre seus sentimentos e ajude-a a compreendê-los melhor. Em seguida, proponha uma atividade ou uma brincadeira, como a leitura compartilhada de um livro especial, que envolva toda a família! 

Outras dicas que podem ajudar!

Como lidar com crianças desobedientes?

Quando a criança já é mais velha e compreende melhor as regras, seus direitos e deveres, e, mesmo assim, escolhe confrontá-los (seja em casa ou na escola), é importante que os adultos conversem com os pequenos e pequenas. Sempre de forma calma, colocando-se na mesma altura, e, principalmente, ouvindo-os.

Muitas vezes, um comportamento de desobediência está associado a causas secundárias. Por exemplo, o desejo por atenção. Ou, então, sentimentos e emoções com os quais a criança não está conseguindo lidar, como o medo, a raiva, a tristeza.

📚 Aprenda como lidar com crianças desobedientes.

O que você precisa saber para lidar com as birras?

A criança começa a chorar e, em poucos minutos, já está gritando, esperneando e se jogando no chão. Quem nunca passou ou presenciou uma cena dessas não sabe o que é sentir um misto de emoções, difícil de explicar e também de lidar, não é mesmo?

De fato, as birras dos pequenos conseguem deixar qualquer adulto sem ação. Principalmente, quando acontecem em público. Seja porque a criança quer um brinquedo ou porque não quer terminar a refeição. Então, como lidar com essas famosas crises de choro?

📚 Confira 8 coisas que você precisa saber para lidar com as birras do seu filho.

Morder, bater e xingar: quando devemos nos preocupar?

Conforme a criança cresce, ela aprende a falar, a expressar suas vontades de maneira mais eficiente e também passa a compreender melhor o que é certo e errado. Por isso, nesse momento, é fundamental que os adultos expliquem para os pequenos e pequenas que determinados comportamentos não são saudáveis. E que podem, inclusive, magoar ou machucar outras pessoas.

📚 Descubra como lidar com comportamentos agressivos na infância.

Dicas da Leiturinha para lidar com os terrible twos

E você, também tem uma pequena ou pequeno adolescente em casa? Então, que tal trabalhar os sentimentos com os pequenos e pequenas que estão passando justamente pelas diversas emoções dos terrible twos? Confira a seguir uma seleção especial da Loja Leiturinha para sua família enfrentar esta fase:

Como Eu Me Sinto: Ursinho

Como Eu Me Sinto: Ursinho

Durante a primeira infância, as crianças estão formando a maturidade para entender sobre os sentimentos e, por vezes, elas costumam ter dificuldade em lidar com eles. Por isso, o brinquedo Como Eu Me Sinto: Ursinho ajuda os pequenos e pequenas a nomear doze sentimentos e emoções: felicidade, medo, tristeza, vergonha, raiva, amor, nojo, ciúme, ansiedade, animação, saudade e frustração, além de reproduzir rodas essas expressões com um ursinho muito atencioso. 🐻 É, portanto, um recurso que ajudará você a ter conversas de apoio com seu filho ou filha sobre seus sentimentos e também de outras pessoas.

👉 Clique aqui para conferir o brinquedo “Como Eu Me Sinto: Ursinho” na Loja Leiturinha!

Cara de Quê?

Cara de Quê?

Os sentimentos são muito abstratos e, para falar sobre eles, o primeiro passo é reconhecer como eles se manifestam no nosso corpo. É o caso das expressões faciais, ou melhor, das famosas caras e bocas. 😁 Pensando nisso, o livro Cara de Quê? foi selecionado pela equipe de Curadoria da Leiturinha para os bebês, por falar sobre sentimentos de forma lúdica e adequada ao universo infantil.

Mas não apenas sobre isto: a cada página, cada personagem está inserido em um lugar diferente do mundo, mostrando também a rica diversidade cultural de toda a gente! Afinal, apesar das realidades vividas por cada um de nós serem muito diversas e diferentes, há sempre algo que nos une: nossa capacidade de sentir!

👉 Clique aqui para comprar o livro “Cara de Quê” na Loja Leiturinha!

Mundo Bita: Histórias Musicais – Volume 2

Mundo Bita: Histórias Musicais - Volume 2

Que tal acalmar os bebês com músicas e histórias especiais? Com sua cartola e bigode laranja, o Bita, personagem que ganhou o coração dos pequenos, agora ganha também as páginas nessa coleção de livros! Em Mundo Bita: Histórias Musicais – Volume 2, as crianças irão conhecer músicas deliciosas e divertidas. 🎵 Por isso, temos certeza que essa coleção de livros infantis vai render deliciosos momentos em família!

👉 Clique aqui para ver a coleção “Mundo Bita: Histórias Musicais – Volume 2” na Loja Leiturinha!

Você gostou das nossas dicas para lidar com toda a fúria (e fofura) dos terrible twos? Quer continuar lendo e vivendo as melhores histórias com as crianças? Então, chegou a hora de conhecer o Clube Leiturinha: o maior clube de livros infantis da América Latina! Acesse o site, escolha o plano ideal para sua família e receba todo mês o livro ideal para seu pequeno ou pequena, na sua casa! 📚❤️

Categorias:
0 - 3 anos | Bebê
Escrito por Ana Clara Oliveira
Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.
E-book exclusivo Leiturinha
Relacionados
Dança com bebê: fortalecendo o vínculo por meio da música

Dança com bebê: fortalecendo o vínculo por meio da música

Interagir com os bebês desde a gestação é fundamental para um desenvolvimento saudável e também para o fortalecimento do vínculo entre adultos e crianças. E quando falamos em interação, vale ler, cantar, ouvir música, conversar e, sobretudo, dançar com os pequeninos e...

Desenvolvimento da fala: descubra o que é esperado para cada idade

Desenvolvimento da fala: descubra o que é esperado para cada idade

Você sabia que pode colaborar (e muito!) com o desenvolvimento da linguagem do seu filho ou filha? Pois é! A participação ativa da família nos primeiros anos de vida da criança é fundamental para ajudá-la a desenvolver suas habilidades, inclusive a fala. Por isso,...

Marcos do desenvolvimento infantil de 0 a 3 anos

Marcos do desenvolvimento infantil de 0 a 3 anos

Embora cada criança tenha seu próprio ritmo de aprendizado e de desenvolvimento, quando falamos em crescimento infantil também é importante levar em conta os chamados marcos do desenvolvimento infantil. Isto é, as mudanças físicas, psicológicas, sociais e emocionais...

Dança com bebê: fortalecendo o vínculo por meio da música

Dança com bebê: fortalecendo o vínculo por meio da música

Interagir com os bebês desde a gestação é fundamental para um desenvolvimento saudável e também para o fortalecimento do vínculo entre adultos e crianças. E quando falamos em interação, vale ler, cantar, ouvir música, conversar e, sobretudo, dançar com os pequeninos e...

Desenvolvimento da fala: descubra o que é esperado para cada idade

Desenvolvimento da fala: descubra o que é esperado para cada idade

Você sabia que pode colaborar (e muito!) com o desenvolvimento da linguagem do seu filho ou filha? Pois é! A participação ativa da família nos primeiros anos de vida da criança é fundamental para ajudá-la a desenvolver suas habilidades, inclusive a fala. Por isso,...

Marcos do desenvolvimento infantil de 0 a 3 anos

Marcos do desenvolvimento infantil de 0 a 3 anos

Embora cada criança tenha seu próprio ritmo de aprendizado e de desenvolvimento, quando falamos em crescimento infantil também é importante levar em conta os chamados marcos do desenvolvimento infantil. Isto é, as mudanças físicas, psicológicas, sociais e emocionais...

Bilinguismo infantil: mitos e verdades

Bilinguismo infantil: mitos e verdades

Infelizmente, ainda circulam muitas informações falsas sobre o bilinguismo, sobretudo infantil. Afinal, será mesmo que falar uma segunda língua pode atrasar o desenvolvimento da fala? Ou, então, atrapalhar a alfabetização? Para ajudar a sua família, chegou a hora de...

24 Comentários

  1. Adriana

    O meu pequeno Miguel só tem 1 ano e 6 meses já começou a se comportar assim! Quando é contrariado, faz birra, se joga… obrigada pelas dicas! Tento sempre conversar com ele e explicar o motivo de não deixá-lo fazer algo.

    Responder
  2. Magna

    Meu pequeno João Pedro está com 2 anos e um mês. Quando ele começou estava com 1 ano e 8 meses, nós estranhamos por ele ser uma criança tranquila .Foi uma mudança mesmo então começamos a conversar muito com ele. Comecei a pesquisar sobre essas reações e conseguimos chegar a esse tema e seguir as orientações. Hoje já está mais fácil pra lidar com ele.

    Responder
  3. Caroline

    Meu pequeno tem apenas 1ano e 3 meses e já se comporta assim. Tento conversar, mas tem momentos que a única coisa que ele não quer é ouvir.

    Responder
  4. Ariadne

    Nosso Pietro de 1 ano e 9 meses está sendo um pequenos adolescente. Agora lendo o artigo, esclareceu bastante. Pois fomos para uma viagem de 10 dias e ele se rebelou 😱😱😱😱
    Estranhamos totalmente os comportamentos, até achávamos que era por estar com outras crianças, maiores e que são mais independentes, mas com certeza é por estar na fase da “adolescência do bebê”.
    Obrigada pelas palavras.

    Responder
  5. Kamila

    Minha pequena tem 2 anos e 2 meses e de alguns dias pra cá vem tendo esses comportamentos, inclusive batendo a cabeça na parede e se auto agredindo, estou desesperada pq meus pais já disseram pra eu levar ela no médico para ser medicada pq isso não é normal. Eu não sei oq fazer me sinto um lixo a pior mãe do mundo.

    Responder
  6. Luana

    O meu bebê de 1 ano e 10 meses também faz muita birra, principalmente quando sai do banho e vamos enxuga-lo, ele detesta!
    Grita, esperneia, foge e chora.. todo dia é a mesma luta. Também se morde quando fica frustrado com alguma coisa. É difícil e a paciência acaba em vários momentos do dia, mas respirar fundo e dizer que é uma fase ajuda muito.

    Responder
  7. Denise Santana Alexandre

    Minha Bebê tem 1 ano e 10 meses. Tudo pra ela é não, às vezes é até engraçado, mas percebo que ela sabe o que significa a palavra não. Às vezes fala bem alto com a gente como se ela quisesse impor que tem que ser do jeito dela. Confesso que às vezes é bem difícil de lidar com essa fase. Lendo o artigo irei prestar mais atenção em mim, para melhorar a minha abordagem com a Alana Mali nesses momentos. Obrigada e bjssss. 😉

    Responder
  8. Isabella Araújo

    Meu filho tem 1 ano e 6 meses e iniciou essa fase de birra. Tudo é não, bater nos outros, chorar e trocar de roupa está sendo um desafio. Tento ficar calma mas tem momentos que fica difícil. Adorei as dicas e vou tentar seguir, tenho certeza que deixará ele mais calmo.

    Responder
  9. Laize

    Minha filha está com 1ano e 10meses e desde 1ano e 2meses estamos nessa difícil jornada 🙈 como parei de trabalhar fora, pesquiso mto e organizo rotinas e o ambiente para ela, qdo tudo está perfeito até conseguimos um ambiente harmônico, mas se muda a rotina: viagens, visitas ou até se o brinquedo não encaixa como deveria…. vira um caos 🙈 sou mto paciente, converso e explico, mas tem umas birras q a gnt sente vontade de entregar p a mãe e sair correndo, porém a mãe é a gnt😂😂 as vezes sinto vergonha dos vizinhos e de pessoas em público que presenciam, mas ler relatos de outras mães que estão passando por fase parecida me conforta o coração. Força a todas as mamães e papais, seguimos na fé que tudo passa, os momentos bons e ruins!

    Responder
  10. Patrícia Torres Galindo

    Tenho uma pequena adolescente de 1 ano e 7 meses, ahh como tenho sofrido!! A minha alem de fazer tudo isso relatado no texto, tudo mesmo (até um pouco a mais), não dorme bem desde que nasceu. Ela vai dormir muito tarde, e acorda a madrugada toda, “berrando e esperneando”, manter a calma realmente está sendo bem dificil pra mim que no dia seguinte vou trabalhar.
    Tem um agravante ainda, minha pequena não simpatiza com adultos que ela não conhece, somente com crianças. Coloquei na escolinha com 1 aninho (meio período) pra ver se melhorava, tive que tirar em 2 meses, chorava todos os dias até ficar rouca, além de ter ficado muiito doente… enfim… essa fase pra mim está sendo a pior, embora sempre chorou muito desde que nasceu, mas agora é choro e birra. Fiquei mais tranquila em ler os relatos, porque quando estamos nessa situação nos culpamos demais, fui mãe muito tarde e me cobro constantemente, nós mães sempre achamos que somos culpadas de tudo né? Obrigada meninas.

    Responder
  11. Aline Simone Vieira Barreto

    Minha Aurora começou com 1 ano e 6 meses com esses comportamentos, tudo é difícil e exige paciência, nada ela faz numa boa, comer, tomar banho, se vestir, tudo exige muita conversa e paciência, tem crises de raiva, faz birras, não se joga no chão, porém ataca coisas no chão, em mim, me belisca, me arranha, grita e chora muito até perder o ar. Tenho outros 4 filhos mas nenhum teve esse terrible two.

    Responder
  12. Ana

    Minha pequena então está na adolescência!!! Com 1 ano e 8 meses sabe bem o que quer e o que não quer. Mas é uma fase linda e ainda bem que passa logo…aí vem outra rsrs

    Responder
  13. Daniele Ribas

    Gente meu filho esta nessa fase acabou de completar dois anos de idade agora tudo faz sentido.. simplesmente esclareceu mesmo nossas dúvidas estava ficando preocupada! Não esta sendo fácil além de tudo ele e bem bravo tem uma personalidade muito forte, mas acredito que tudo dará certo logo nossos bebês adolescentes se tornaram crianças doces e felizes 🥰

    Responder
  14. Sarah

    Está sendo literalmente a pior fase da minha vida, eu realmente não entendo como outras mães conseguem manter a sanidade e otimismo nessa fase. Eu não consigo fazer nada em casa, ele faz muita arte, tudo o que falo que não pode e toda vez que é contrariado é um verdadeiro caos. Tem muita mania de me bater, me empurrar e pra dormir a tarde e a noite também é terrível, ele chora por horas. As vzs da vontade de simplesmente sumir e deixar pra minha mãe ou o pai dele criar, juro. Eu to surtando real.

    Responder
  15. Eliana

    Minha pequena, tem um ano e 4 meses,está passando por essa fase, fica muito irritada, morde na gente,faz birra ,as vezes me sinto tão mal pensando q eu fracassei , mais vendo os comentários vejo q não e só a mim,q passo por isso,obg pelas dicas.

    Responder
  16. beatriz

    Oie eu sou a Beatriz mãe de um pequeno adolescente de 2 anos, tenho 15 anos, está sendo bem difícil para mim, mais esse artigo me ajudou muito, meu filho é uma criança que entende exatamente o que eu falo, ele tem crises de choros, quando esta cansado, durante a semana por ele acordar cedo e com a rotina da escola, ele fica bem chatinho, os fins de semana são muito tranquilos por conta dele conseguir descansar mais , ele pede muito carinho e atenção nesses momentos, agora eu consigo entender isso muito melhor, obrigada.

    Responder
  17. Bruna

    Minha filha tem 2 anos e 4 meses e ta na fase de quando é pra tomar banho faz um escândalo, pra pentear o cabelo pior ainda. Juro essa fase tá difícil.

    Responder
  18. Karla dias

    Meu Deus! Achei que era só eu que estivesse surtando por aqui! Rs brincadeiras à parte, mas está sendo a pior fase desde que minha filha nasceu. Hoje com 2 anos e 4m chora pra tudo e quer colo toda hora. Coluna já era e saude mental precária.

    Responder
  19. JORLENE COSTA AIRES DE CARVALHO

    A minha filha desde que completou 2 anos está assim, e parece que só piora a cada dia, ela está com 2a7m agora, é uma luta diária para lidar com ela, pois é mt zangada, mtas vzs chora até vomitar. Que Deus me ajude pq estou surtando 🙁

    Responder
  20. Hester de oliveira

    Meu filho tem 2 anos e 8 meses e está nessa fase difícil… Muitas vezes acho que vou surtar. Tudo para ele agora é “NÃO”. Toda vez que vamos ao supermercado ele faz birra pois quer brinquedos… Até rola no chão. Tomar banho e vestir roupa é uma luta. Todo dia é um desafio… Sigo tentando… Bom saber que é uma fase.

    Responder
  21. Gisele

    Estou quase jogando a toalha também. Minha menina tem 2 anos e 7 meses e de uns dias pra cá tem sido quase insuportável lidar com ela. Nunca faz aquilo que pedimos e eu não sei mais o que fazer. Toda a paciência acabou. Tento conversar mas ela só grita. Não tem como me ouvir.

    Responder
  22. Tali

    Meu filho tem 1 ano e 10 meses e também reproduz alguns dos comportamentos descritos. Não está sendo fácil lidar com essa fase ainda mais porque tenho outro bebê de 6 meses que também demanda muito cuidado e atenção. Ele é muito carinhoso com o irmão mas às vezes faz coisas para chamar a nossa atenção que se não intervirmos ele acaba o machucando.
    O mais difícil é manter uma rotina com dois em idades diferentes, principalmente na hora de dormir. Ele estava recusando as refeições tbm mas graças a Deus voltou a se alimentar melhor como antes. Vou por em prática as dicas e tentar me programar melhor. Espero que o ingresso dela a escola tbm o ajude com essas questões. Haja paciência! Que Deus nos ajude!

    Responder
  23. Carlos

    Minha pequena adolescente tem 2 anos e 3 meses. Não tem sido fácil pra minha esposa e eu passarmos por essa fase sem o estresse que tira do sério, acabamos por tomar algumas atitudes que julgamos serem erradas e que precisamos mudar para ajudá-la a vencer da melhor maneira os desafios desse período. São muito importantes as dicas que pegamos aqui hoje, vamos colocar em prática!!

    Responder
  24. Rodolfo

    Meu filho está com 1 ano e 10 meses , faz tudo isso é mais um pouco,pensamos até que estava possuído de tão trabalhoso que está ,não deixa ninguém fazer nada quer atenção total.

    Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Boa leitura!