Criança ideal X Criança real

O que era para ser uma tarde chuvosa e cheia de tédio se transformou em uma grande confusão, tudo por causa do Gatola da Cartola… O enredo, de tão maluco, mostra o que acontece quando o Gatola entra em cena. Com a Coisa Um e a Coisa Dois, a casa de Sally e de seu irmão se torna um alvoroço só! E, claro, tudo isso durante a ausência da mãe.

A sensação ao ler este livro é de que estamos em meio a uma arte de criança, destas de se fazer escondido dos pais. Nas últimas páginas dá até pra sentir o frio na barriga: a mãe se aproximando e a casa do avesso! Cena comum, pelo menos na infância de muitos de nós. O livro de Dr. Seuss quebrou muitos paradigmas na época em que foi escrito (1957), mas ainda hoje não deixa de nos relembrar o óbvio: a criança real, que por mais obediente e educada que seja também terá seus momentos de “rebeldia” e, por que não dizer, de liberdade!

O Gatola da Cartola: Um livro com personagens humanizados para crianças reais

O livro, originalmente chamado “The Cat In The Hat”, foi escrito e ilustrado por Dr. Seuss (pseudônimo  de Theodore Geisel) e publicado pela primeira vez em 1957 com o principal intuito de auxiliar no processo de alfabetização de forma divertida! O livro fez tanto sucesso que em apenas 3 anos chegou a vender mais de 1 milhão de cópias e, em 2003, ganhou adaptação para as telas, com o filme “O Gato” (direção de Bo Welch), e até uma série infantil.

O motivo de o livro ser tão querido? O Gatola da Cartola não se parece nada nada com os tantos personagens já conhecidos. O gato em questão não é nada politicamente correto, apesar de limpar toda a bagunça que fez no final, é mestre em fazer as mais loucas artes, desde truques de mágica à malabarismo, sem dar ouvidos para as duas crianças preocupadas – afinal, tudo estava uma verdadeira bagunça, e logo a mãe estaria em casa!

Fazer um livro divertido e colorido para auxiliar no processo de alfabetização dos pequenos foi o primeiro impulso para que Dr. Seuss construísse a obra. As rimas e cores das ilustrações foram um bônus extra para que as crianças não só aprendessem novas palavras, mas que, ao ler, não pudessem mais esquecer tal história!

Esta obra de Dr. Seuss deu origem a um novo estilo na literatura infantil que existia até então para o ensino da leitura e escrita, em que só apareciam crianças estranhamente bem comportadas, como no clássico Dick and Jane (Editora Scott Foresman), que dos anos 30 até os 90 foram amplamente utilizado nos Estados Unidos, nas escolas.

O título, da Editora Companhia das Letrinhas, agora compõe a biblioteca dos Leitores Iniciantes do Clube Leiturinha e, como todo clássico, promete identificação e ótimas surpresas para os pequenos! Além de tudo isso, o livro é bilíngue! Os pequenos lerão as rimas cuidadosamente trabalhadas pela tradutora Bruna Beber e ainda também o texto original, em inglês!

Leia também:

Profile photo of Sarah Helena

Mãe da Cecília, formada em Psicologia, especialista em Filosofia, sempre trabalhou com famílias, especialmente com os pequenos. Por esse amor ao universo afetivo infantil, hoje, na Leiturinha, ela colabora fortalecendo o vínculo das famílias leitoras através da experiência da literatura.