15 frases de apoio para praticar a Disciplina Positiva com seu pequeno

por | jan 26, 2018 | 12 Comentários

Nós já falamos aqui no Blog da Leiturinha sobre a Disciplina Positiva, que defende em uma criação baseada no respeito, na empatia e na promoção da autonomia dos pequenos. Considerando a importância da construção e manutenção dos vínculos com os filhos, a Disciplina Positiva frisa também que para educar crianças, é fundamental ouvi-las, se colocar no lugar delas e incentivá-las. Pensando nisso, reunimos aqui 15 frases de apoio para você inserir no dia a dia com seu pequeno. São frases que estimulam a autoestima, incentivam a independência e fortalecem os laços da família!

1. Eu sei que você consegue fazer isso sozinho(a).

2. Muito bem! Você conseguiu!

3. Não duvido da sua boa intenção.

4. Você pode chegar onde quiser.

5. Eu estou aqui para te apoiar.

6. Sei que você fez sem querer. Não tem problemas! Vamos resolver juntos?

7. Estou tão orgulhoso(a) de você!

8. Com certeza, as próximas notas serão melhores.

9. Estou feliz pelo o que você fez!

10. Que surpresa mais bonita você me fez.

11. Quando precisar de mim, eu estarei aqui para ajudar.

12. Assim eu gostei. Você fez tudo muito bem!

13. Percebo que a cada dia você está melhor.

14. Eu acredito no que você diz.

15. Saiba que eu quero sempre o melhor para você. Você merece o melhor.

E aí na sua casa? Quais frases você costuma dizer ao seu pequeno para apoiá-lo e incentivá-lo?

Leia também:

Categorias:
0 - 3 | 10+ | 4 - 6 | 7 - 10 | Educação | Família | Idade
Escrito por Ana Clara Oliveira
Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.
Relacionados
Como saber se seu filho tem medo além do normal?

Como saber se seu filho tem medo além do normal?

O medo faz parte da natureza humana e é importante para o desenvolvimento emocional, especialmente das crianças. Afinal, é o medo que nos ajuda a avaliar os perigos e possíveis ameaças a nossa saúde, por exemplo. No entanto, é preciso cuidado com o excesso de medo,...

12 Comentários

  1. Avatar

    Aqui em casa cada conquista é motivo de “” festa”” sempre Bato palma digo parabéns elogio e quando faz algo que não pode digo que não pode as vezes eu chego a dizer o motivo mesmo ela sendo tao novinha(minha filha tem nove meses)

    Responder
  2. Avatar

    16 fiquei triste, mas já passou. Agora só falta você me dar um beijo!

    Responder
  3. Avatar

    Gostei, as vezes quero elogiar e me faltam palavras… sempre digo a mesma coisa e acho que não ajuda muito…
    Se for possível, gostaria de receber alguma sugestão de quando a criança não quer conversar, contar como foi seu dia… de que forma posso construir esse diálogo…???

    Responder
  4. Avatar

    Gostei do comentário acima, pode nós da dica de quando a criança não quer falar sobre o seu dia…dica maravilhosas ….prático algumas ! obrigada

    Responder
  5. Avatar

    Olá a todos.

    Aqui SEMPRE é uma BATALHA POR DIA. Sou “PÃE”, me divorciei as gêmeas tinham 1 ano e quatro meses. Mesmo tendo que ser muito rígida com elas e me faltar muita paciência, respiro muito e penso logo em algo positivo. Essas são algumas das frases que tenho repetido.

    Eu sei que você consegue fazer isso sozinho(a).
    Sei que você fez sem querer. Não tem problemas! Vamos resolver juntos?
    Quando precisar de mim, eu estarei aqui para ajudar.
    Saiba que eu quero sempre o melhor para você. Você merece o melhor.

    Responder
  6. Avatar

    Gostei, tbm gostaria de receber dicas de como conseguir com que meu filho me fale do seu dia tbm, está com 10 anos dizendo que é adolescente.

    Responder
  7. Avatar

    Mamães acima que disseram que não sabem o que fazer quando os filhos não querem contar sobre o dia.
    Certa vez assisti uma reportagem que quando a gente pergunta: “Como foi seu dia?”, eles se acanham e ficam sem ter o que falar. Mas a gente pode mudar a abordagem: “Hoje você aprendeu algo novo? Fez algum amigo novo? Aconteceu algo desagradável que não teve a chance de se explicar? Qual a atividade você mais gostou?” E assim por diante… Ao invés da gente deixar a pergunta vaga, é bem melhor direcionar a pergunta a algum assunto específico.

    Responder
  8. Avatar

    Ana carolina, tb faço isso com meu filho. Direciono as perguntas, como:
    – aconteceu algo que desagradou?
    -vc ou algum coleguinha fez algo que chamasse a atenção da professora?
    E recentemente, meu filho precisou ficar na casa de um amiguinho pra poder ir pra escola,pois precisei viajar. Quando voltei, ele disse q não queria ir lá mais? Descobri o porque.. a mãe do coleguinha fez meu filho comer jiló…rsrsrs.
    Meu filho sempre me conta o que acontece na escola. E pelo que percebi, ele não gosta de ver injustiças acontecendo em sua volta. Será um bom homem, se Deus quiser!!

    Responder
  9. Avatar

    Sempre digo para meu filho…Vc só me traz amor, alegria e felicidades!!
    Seu sorriso alegra meu coração!!!

    Responder
  10. Avatar

    Ana Carolina, adorei as dicas, vou aplicá-las!
    Obrigada!

    Responder
  11. Avatar

    Aqui em nossa família sempre estimulamos nosso filho em suas conquistas. Palavras de encorajamento e mostrar a ele que estamos juntos em qualquer dificuldade . Hoje vemos o resultado em seu comportamento e notas na escola. Cada família deve investir seu tempo com seus filhos e verá o futuro brilhante que ele irá traçar. Parabéns a escola e por estarmos juntos neste propósito de formar uma geração mais confiante e capaz de fazer um país melhor.

    Responder
  12. Avatar

    Olá mães e pais!

    Sobre os filhos que não gostam de contar sobre o seu dia, perto da adolescência/puberdade isso não é tão incomum. Porém, desde cedo, ao invés de perguntar “como foi o seu dia” ou outras formas menos diretas de perguntar, dou como sugestão que vocês comecem dando o exemplo: falem um pouco sobre como foi o seu dia. As crianças se empolgam com as suas experiências cotidianas enquanto país e adultos, e se estimulam também, depois de vocês, a contarem sobre o seu dia também. Essa é uma estratégia que pode ser mais viável. Tentem e depois digam se deu certo. Abraço!

    Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *