Temos visto frequentemente na internet textos e depoimentos sobre de mulheres sobre problemas e dificuldades na amamentação e o que já sabíamos no meio profissional tem chegado, cada vez mais, para as mamães. Diferente do que se imaginava anteriormente, durante essa fase é mais provável que surjam problemas do que o contrário. Manter-se bem informada é essencial, principalmente quando está para chegar ao mundo alguém tão esperado e amado. Por isso, confira 5 fatos sobre amamentação que toda futura mamãe precisa saber para não ser pega de surpresa ao encontrar desafios no caminho.

Confira 5 fatos sobre amamentação que você precisa saber:

1. Amamentar nem sempre é fácil

Muitas pessoas pensam que amamentar é automático e natural e, por isso, se preparam mais para o parto e acabam se esquecendo da amamentação. É muito importante saber que amamentar nem sempre é fácil e que você pode precisar de ajuda. Existem problemas como redução do leite, o bebê pode não estar mamando de maneira eficiente, podem surgir fissuras, mastite ou empedramento do leite, por exemplo. Tudo isso está ligado ao padrão de sucção do pequeno e pode ser corrigido com a ajuda de uma profissional de fonoaudiologia. Procurar uma rede de apoio e saber a quem recorrer se precisar de auxílio torna tudo mais fácil.

2. Não é necessário preparar o peito para a amamentação

Ficar esfregando o seio com toalhas ou bucha vegetal não é necessário. O próprio corpo já se encarrega da produção do leite e de preparar o peito para amamentação. Inclusive, utilizar alguns objetos antes de começar a amamentar, como a concha de amamentação, pode até prejudicar a produção do leite; hidratar demais pode deixar a pele mais fina e suscetível a fissuras e fazer estímulos intensos, com bucha, por exemplo, na região podem acelerar a produção de ocitocina e até mesmo levar a um parto prematuro.

3. Avaliar o padrão de sucção é essencial para evitar machucados e fissuras

Logo nas primeiras mamadas você percebe que o pequeno está machucando, começou a doer e a aparecer algumas fissuras. Procure rapidamente um profissional para avaliar o padrão de sucção do bebê. Não é somente a pega que precisa estar correta e, sim, o movimento que o bebê faz com a linguinha para retirar o leite da mama.

4. Quantas mamadas por dia é o ideal?

Não existe um ideal, mas o tempo necessário para o pequeno fazer a digestão do leite é de cerca de duas horas. Portanto, se ele está pedindo para mamar em menos tempo, é um sinal de que a amamentação não está sendo eficaz. Quando isso acontece pode ser que ele não esteja esvaziando a mama e o corpo pode começar a entender que não tem tanta demanda e diminuir a produção. Se você perceber que as mamadas estão com intervalos muito pequenos, procure conversar com seu médico sobre o assunto.

5. Quanto tempo o bebê deve mamar?

De 10 a 20 minutos em cada peito são mais do que suficientes. Mamar por mais tempo não significa que o bebê está mamando mais ou melhor. Pelo contrário, é sinal de que ele está “chupetando” e isso aumenta as chances de aparecerem feridas e machucados, além de ser exaustivo para a mãe. 

Leia também: 

Profile photo of Flávia Puccini

Fonoaudióloga, mestre em processos e distúrbios da comunicação e especialista em motricidade orofacial. É consultora de amamentação e laserterapeuta. Carinhosamente, contribui com seu conhecimento no Blog, à convite da Leiturinha.