Quando nasce um bebê, nasce um pai

Quando falamos sobre o nascimento de um bebê, as informações e preocupações giram muito em torno da mulher. Afinal é ela quem engravida, passa pelos nove meses de gestação, sofre as alterações hormonais, no corpo e tudo que envolve o período pré-natal. Nos últimos anos tem se questionado muito o papel do pai, a importância do parceiro, nesse momento, e a resposta não deixa dúvidas: o envolvimento é essencial.

O papel e a importância do parceiro durante a amamentação

A presença do parceiro desde a gestação ao pós-parto é crucial, inclusive na amamentação. Mesmo que o pai não consiga amamentar pela mãe, ele pode participar de outras maneiras, dando apoio, incentivando, acolhendo as angústias, sendo empático nesse momento pelo qual sua parceira está passando e oferecendo um ombro, um copo d’água ou, até mesmo, um prato de sopa à essa recém-mãe, que também precisa de amparo. Essa demonstração de carinho e valorização é muito importante para o bem-estar da mãe e influencia diretamente no sucesso da amamentação.

Sabemos que por mais que tenha um planejamento, preparação, leitura e a procura por entender ao máximo do assunto, ser mãe e pai é quase sinônimo de imprevistos. A gestação pode não ocorrer como o planejado, assim como o parto, a amamentação, a introdução alimentar e todas as outras fases da vida. Por isso, o mais importante não é sentir-se com sucesso quando alguma dessas etapas é concluída sem dificuldades e, sim, mostrar que apesar de todas as dificuldades o bem-estar da mãe, do pequeno e da família que está sendo construída, está acima de tudo.

Alguns estudos apontam que quando a mãe se sente apoiada pelo parceiro, o momento da amamentação acontece muito mais fácil, tudo flui melhor. Por isso algumas dicas para que esses pais se engajem mais é sempre buscar o máximo de conhecimento possível no assunto. É importante que saibam as dificuldades que encontrarão pelo caminho e como se empenhar para encontrar novas soluções e não simplesmente acharem que a melhor saída é a mais fácil. Serem presentes e entenderem o sofrimento, a angústia e a dor das mães já ajuda muito, afinal, passar por uma problema sozinha é muito mais difícil do que ter alguém segurando sua mão.

A importância de pai e mãe, juntos, no momento da introdução alimentar

Passado o período da amamentação, começa a introdução alimentar na qual o papel dos dois também é fundamental. Nessa fase os adultos servem de modelo para os pequenos, que vão se espelhar em suas atitudes. Se o pai não come ou a mãe não come, provavelmente os filhos vão imitar aquele gesto. Ou então se os pais comem enquanto assistem televisão ou usam o celular, vão despertar a curiosidade dos pequenos para utilizarem esses aparelhos enquanto comem, ou até mesmo criar o hábito de só se alimentarem enquanto assistem a algum programa.

É preciso sempre lembrar que gerar uma vida é um momento único e uma grande responsabilidade, por isso buscar informação e prestar atenção nos pequenos detalhes é primordial. Só assim é possível descobrir maneiras de lidar com diferentes problemas, saber a que profissional recorrer em cada momento e fazer, dentro da possibilidade de cada um, o melhor para o seu pequeno.

Leia também:

Profile photo of Flávia Puccini

Fonoaudióloga, mestre em processos e distúrbios da comunicação e especialista em motricidade orofacial. É consultora de amamentação e laserterapeuta. Carinhosamente, contribui com seu conhecimento no Blog, à convite da Leiturinha.