“Manhêêê!”, “Foi ele quem começou!”, “Não é justo!”, “Eu peguei primeiro!”, “Mas, mããe!”… E por aí vai. Quem tem mais de um filho já está mais do que habituado a ouvir frases como essas. Afinal, gostemos ou não, verdade seja dita: as brigas entre irmãos são inevitáveis. Aliás, se você cresceu com um ou mais irmãos, sabe muito bem disso. Um pedaço de bolo, um jogo de videogame, um lugar no carro, um controle remoto… Absolutamente tudo pode se tornar motivo de discussão, disputa e, por vezes, tapas e empurrões entre os pequenos. 

Mas, afinal, como lidar com as brigas entre irmãos? 

Sabemos que manter a calma e ter paciência com os filhos nem sempre é uma tarefa fácil. Às vezes, a vontade é largar tudo o que está fazendo e gritar da cozinha mesmo: “Se não parar, vou aí e acabo com a brincadeira!”. Mas, sem dúvidas, por mais difícil que possa ser, conter essa vontade, respirar fundo e manter a calma será muito mais efetivo. De acordo com Sarah Helena, psicóloga e caçula de quatro irmãos, “as brigas são sempre uma oportunidade para que os filhos aprendam e exercitem valores como empatia e respeito, além de experimentarem com mais intensidade sentimentos de frustração (importantíssimo para a vida adulta)”. 

5 dicas para lidar com as brigas entre irmãos

Mas, como afirma Sarah, tudo depende da maneira como as brigas são conduzidas e mediadas. “Há que se ter espaço para que elas aconteçam. Não se pode evitá-las a todo custo. Aos poucos, é possível conduzir as brigas de forma mais distanciada, deixando com que os irmãos reflitam sobre as causas reais dos conflitos, buscando se colocar no lugar do outro. Obviamente, existem brigas violentas, em que existe a necessidade de contenção. Mas aquelas em que estão a nível da discussão sempre poderão render muitos aprendizados”, afirma. 

Para ajudar você a acalmar os ânimos em casa, reunimos aqui 5 dicas para lidar com as brigas entre irmãos, confira: 

1. Saiba a hora de intervir

 Ao ouvir os resmungos e reclamações dos pequenos, é difícil conter o impulso de intervir e acabar com a briga de uma vez. No entanto, precisamos nos segurar um pouquinho para permitir que as crianças tentem resolver o problema sozinhos. Se você for chamado(a) ou sentir que a discussão está se tornando uma briga mais séria, aí sim, intervenha. 

2. Proponha que eles mesmos encontrem possíveis soluções 

Outra vontade quase incontrolável é de guardar o objeto motivo de discussão ou mandar cada um para o seu quarto. No entanto, isso pode até resolver o problema momentaneamente, mas é pouco efetivo à longo prazo. Por isso, antes de decidir por eles o que fazer, dê a chance que eles mesmos resolvam a briga propondo soluções para o problema. Isso promove aprendizado e estimula o amadurecimento dos pequenos. Assim, eles entendem que para resolver conflitos, é preciso pensar na causa e nas soluções. 

3. Maneire na bronca

No momento de impaciência, muitas vezes é difícil controlar o tom de voz e o nervosismo. No entanto, explodir, gritar, dar castigos severos, fazer comparações e ofender não são as melhores soluções. Além de um mau exemplo para os pequenos, broncas muito rígidas passam a mensagem de medo e podem, inclusive, impactar na autoestima das crianças. Por isso, lembre-se de sempre estabelecer limites de maneira respeitosa, sem rebaixá-los ou fazer o que você não gostaria que eles fizessem um com o outro. 

4. Ouça os dois lados da história e seja justo

Quem é irmão mais velho sabe que, muitas vezes, os caçulas se dão bem na hora de resolver uma briga. Por serem mais novos, os pais acabam privilegiando os pequenos, mesmo que sem perceber. Por isso, na hora de intervir na briga entre irmãos, é fundamental ouvir os dois lados com a mesma atenção e tentar ser justo na resolução do problema. Claro, sempre respeitando a idade da criança e o seu entendimento. 

5. Converse, converse e converse! 

Resumindo, assim como na vida adulta, a melhor saída para as brigas entre irmãos é o diálogo! E nem sempre uma só conversa resolve. Mas é preciso insistir e não desistir de conversar e explicar. Repita, repita e repita. Só por meio do diálogo, seus pequenos vão entender que é por meio dele que se resolve os impasses em nossa vida, e não com agressão ou intolerância. 

E aí na sua casa? O que é mais difícil para você na hora de resolver uma briga entre os seus filhos? Conte aqui para a gente! 

Leia também: 

Profile photo of Ana Clara Oliveira

Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.