A fala, a linguagem, a escrita e a leitura

A fonoaudiologia infantil trabalha o desenvolvimento infantil como um todo, não só o desenvolvimento da fala, mas também da linguagem, da escrita e da leitura. Todos esses aspectos estão muito relacionados e, portanto, quando se estimula algum deles, os outros são beneficiados consequentemente. Assim, se uma criança tem contato com livros desde pequenininha, ela vai criando um prazer e um vínculo com este hábito, desenvolvendo o gosto pela leitura, o que melhora a fala e a escrita.

Como o hábito da leitura colabora com o desenvolvimento da linguagem?

Quando a criança entra em contato com estímulos como a leitura, ela aprende novos vocabulários, usa corretamente a linguagem e aprende a ler e a escrever corretamente, de acordo com a ortografia.

Um estudo da Universidade da Califórnia afirma que a leitura é a melhor forma de melhorar e aumentar o vocabulário da criança. Ter um contato forte com livros e leitura faz com que a criança tenha acesso a 70% mais palavras do que em conversas.

Ler livros faz com que, aos poucos, os pequenos comecem a desenvolver a habilidade de organizar e assimilar histórias, ajudando o cérebro a se exercitar e conhecer o mundo. Assim, adquirem recursos para desenvolver e usar a fala e a linguagem, como um todo, para se comunicar com outras pessoas. Além disso, no processo de alfabetização, essa criança vai ter mais facilidade para nomear e usar palavras, se concentrar, prestar mais atenção e na interpretação de textos.

Quando os pequenos ainda estão longe de conseguirem ler sozinhos é importante que os pais façam isso com eles, mesmo que ainda não consigam entender o conteúdo completo da história. Além de ser um momento gostoso em família, se você prestar atenção, o bebê capta alterações de tom e compreendem o ritmo do texto, por isso que mudam a expressão de acordo com o momento, sorrindo e arregalando os olhos, por exemplo.

Alguns livros estimulam a parte sensorial da criança e ajudam, também em outras questões do desenvolvimento, como alimentação. Porque, lá na frente, quando o bebê começar a ter contato com alimentos e texturas diferentes não vai ser uma surpresa tão grande, pois já vai ter tido contato e sensações diferentes antes, por meio dos livros.  

Outro aspecto importante é que as histórias dão modelo e ajudam a criança a entender o contexto da situação pela qual estão passando. Por exemplo, uma criança que está em fase de largar a chupeta pode ter contato com um personagem que esteja passando por esse mesmo momento e consegue enfrentar o desafio com sucesso, apesar das dificuldades. A chance do pequeno se espelhar nele e também conseguir deixar a chupeta é bem alta. Tem histórias lúdicas que despertam a curiosidade e imaginação… São vários tipos de livros diferentes que vão ajudar de muitas maneiras!

Leia também:

Profile photo of Flávia Puccini

Fonoaudióloga, mestre em processos e distúrbios da comunicação e especialista em motricidade orofacial. É consultora de amamentação e laserterapeuta. Carinhosamente, contribui com seu conhecimento no Blog, à convite da Leiturinha.