Meu bebê não dorme: como vencer a privação de sono e aprender a dormir junto com o bebê

Se fizeram noites infinitas desde que o meu bebê nasceu. Hoje, prestes a completar um ano de vida, nós já experimentamos fórmulas e incansáveis rituais do sono. Hora em hora, noite adentro, eu e meu companheiro usamos de técnicas para tentar fazer com que o menino adormecesse e nos privilegiasse com o descanso necessário para seguir a dura rotina que é cuidar de um bebê. Algumas vezes funcionou, mas, em grande parte das vezes, as tentativas fizeram com que a noite se tornasse mais dolorosa e cansativa. Por isso, hoje, depois de tanto ler, estudar sobre o desenvolvimento na infância e buscar incansavelmente nos livros receitas mágicas para que ele dormisse em paz, finalmente, cheguei a algumas conclusões que podem te ajudar se esse for o seu caso. 

1. Bebês muito pequenos precisam acordar

Se o processo de amadurecimento é difícil para nós adultos, imagine para os bebês que acabaram de nascer. Aprender a dormir driblando os incômodos desse desenvolvimento é muito difícil, assim como alguns de nós adultos possuímos ou não mais do que outros habilidades de driblar os desafios da vida, existem sim alguns bebês que lidam com isso com mais facilidade e dormem melhor. Nos primeiros meses de vida os bebês precisam mamar com maior frequência. E dar um super banquete antes do seu bebê dormir não irá resolver essa situação. O lance é cíclico mesmo. Mas, na maioria das vezes, as noites dos primeiros anos de vida são sim turbulentas. 

E seu leite não está fraco: bebê possuem necessidades diferentes uns dos outros, enquanto uns mamam mais, outros precisam se alimentar com menor frequência. A nossa expectativa é o que mais frustra nessa época, esperar um bebê que durma a noite toda faz com que nosso bebê seja imperfeito. E eles são mesmo diferentes uns dos outros e tudo bem. Nesta fase, é importante mentalizar o mantra do “Vai passar”.  E para dormir melhor, nos primeiros meses vale tudo, até colocar o “som do útero” para embalar o sono.

Uma hora ou outra, mais cedo ou mais tarde, isso se ajeita. Mas é claro que existem dicas para ajudar a educar o sono do bebê, que podem contribuir para o estabelecimento de uma rotina de sono e ajudar a diminuir os incômodos causados pela privação de sono.

2. Como funciona o sono do bebê

Assim como nós adultos, o sono do bebê possui ciclos. O primeiro é conhecido como o sono ligeiro, é aquele no qual o bebê ainda não dorme profundamente e está com as mãozinhas fechadas, quando você retira o peito da boca dele e ele ainda tenta pegar de volta, quando você nota que a respiração é irregular, ora acelerada, ora lenta. E existe a fase do  sono profundo, na qual o bebê está totalmente relaxado e tranquilo, ou seja, dormindo profundamente. Essas fases se revezam, ou seja, durante a noite ele transita entre esses dois estágios e é provável que, em alguns momentos do sono ligeiro, ele “acorde” e chore pedindo cuidado. 

3. Se possível, estabeleça uma rotina de sono e bons hábitos

Rotina transmite segurança, logo, bebês adoram rotina. Por isso, é importante que aos poucos, horários e rituais sejam definidos para que o bebê se acostume com o momento de dormir. Existem diversos teóricos e estudiosos do desenvolvimento infantil que desenvolveram teorias que contribuem para o estudo do sono e é quase unânime a presença da ideia da rotina de sono. 

Defina horários dentro da sua noite, por exemplo, escolha as sete horas que são imprescindíveis que sejam dormidas neste espaço de tempo, (ex: das 23 às 06 da manhã), duas horas antes do início deste horário, inicie o “ritual” do sono. Às 21 horas, você pode começar gradativamente a diminuir a luz e também os sons do ambiente, falando mais baixo e desligando os eletrônicos. Próximo às 22 horas, você pode começar a amamentar (caso o faça) ou dar a mamadeira e, posteriormente, ninar ou colocar uma canção específica, ou se ele ficar bem assim, o colocar no berço o acariciando para que ele adormeça na sua presença. 

4. Esteja presente e dê segurança ao bebê

Deixar o bebê chorando sozinho não é um opção. Dormir já representa uma separação. É necessário se ausentar da presença de pai/mãe para adormecer. Isso é difícil para os bebês. Agora, imagina você acordar, sozinho, em um mundo que você mal conhece, sem suas figuras de referência? Mesmo que você prefira não o pegar no colo ou amamentá-lo, coloque sua mão sobre ele ou fale, pouco e baixo, com ele. Assim, ele saberá que você estará ali sempre e, aos poucos, sentirá mais segurança em adormecer.

5. Esteja também confortável no momento de dormir

Nós sabemos o quanto é difícil levantar diversas vezes à noite para pegar o bebê no colo ou amamentá-lo. Por isso, escolha colocá-lo para dormir em um lugar que seja de fácil acesso para vocês. Lá em casa, nós optamos pela cama compartilhada, mas a fizemos de forma extremamente segura. Caso não seja possível para a sua realidade, opte por acoplar o berço à cama, ou, pelo menos, o colocar no mesmo quarto ou em um cômodo próximo.

6. Pare de tentar receitas mágicas que te angustiam

Ver nosso filho chorando não é legal. Por isso, se você estiver tentando alguma fórmula dura que esteja te angustiando, pare já. Siga seu coração e por mais que essa situação pareça que vá te enlouquecer, isso vai passar. Invista em uma rede de apoio, estimule a presença do seu companheiro ou alguém que possa te ajudar, invista em manter sua mente sã, fazendo coisas que te dão prazer durante o seu dia para enfrentar essa fase. Afinal, não existe prova de amor maior que deixar quem você ama dormir mais um pouquinho no domingo depois de incessantes despertares na madrugada. Faça o seu melhor sem se preocupar com acostumar mal a criança ou algo do tipo. Faça o que você acredita que é melhor para você e para o bebê.

7. Cuide da sua saúde mental e se preciso, procure um profissional

Existem diversos profissionais sérios, extremamente capacitados, que estudam o sono toda uma vida. Não falando de pessoas que usam apenas métodos de extinção, ou baseados em cursos breves de treinamento para o sono. Existem pessoas que realmente se dedicam à compreensão dos processos de sono na primeira infância e podem te ajudar muito. Além disso, olhe para seu bebê com atenção em alguns detalhes: alguém o estimula muito durante à noite? Ele tem tirado as sonecas corretamente durante o dia? Vocês usam telas no fim da tarde? Experimente incentivar a auto-regulação do seu bebê, é importante dormir na hora que ele quiser dormir, é importante aprender a mamar hora que tiver fome. Auto-regulação é algo para toda a vida.

Leia também: 

Profile photo of Caroline Lara

Faz parte da Equipe de Curadoria da Leiturinha, é formada em Psicologia e mãe do Caetano. Leitora compulsiva, é apaixonada em provocar emoção, despertar a fantasia, entreter e alegrar pequenos através da literatura. Acredita que quanto menor nosso tamanho, maior a criatividade!