Ser pai e mãe traz imensas alegrias, mas também muitas responsabilidades. Educar uma criança não é simples. Demanda atenção, discernimento, afeto, limites e autoconhecimento. Nem sempre isso é fácil. Algumas vezes, na tentativa de acertar, os pais podem exagerar na dose de cuidados e na bronca ou perder a mão na hora de impor limites, seja para mais ou para menos. Natural. Afinal, errar é humano e é errando que se aprende. No entanto, quando atitudes como comparar, culpar, controlar, desrespeitar, cobrar e até humilhar passam a ser recorrentes na relação entre pais e filhos, é importante tomar cuidado. Conhecidos como pais tóxicos ou pais narcisistas, esse tipo de parentalidade pode impactar negativamente a vida e o desenvolvimento dos pequenos, ainda que não percebam ou não façam isso de propósito.  

O que caracteriza pais e mães tóxicas?

Ainda que não seja por mal, os pais tóxicos, também conhecidos como pais narcisistas, são aqueles que, em nome do cuidado, estão sempre colocando os filhos para baixo, invadindo sua privacidade, protegendo exageradamente, fazendo chantagem emocional e controlando cada passo. São aqueles que se sentem no direito de opinar sobre tudo na vida do filho e decidir tudo por ele. Esses pais são chamados tóxicos porque, ao exagerarem na superproteção e até mesmo no autoritarismo, acabam impactando negativamente no desenvolvimento da criança, afetando principalmente sua autoestima, autoconfiança e autonomia. Resumindo, os pais tóxicos acreditam que estão ajudando e protegendo, quando na verdade estão fazendo mal aos filhos sem perceber. Confira 7 características de um pai ou uma mãe tóxica:

1. Culpam os filhos por suas próprias decisões e frustrações.

2. Cobram exageradamente e não reconhecem ou valorizam os esforços da criança.

3. Expõem a vida pessoal dos filhos.

4. Criticam a personalidade, a aparência e as atitudes do filho a todo momento.

5. Controlam a vida – pessoal, escolar, acadêmica e profissional – do filho, reagindo negativamente quando contrariados.

6. Não respeitam a intimidade e privacidade dos filhos.

7. Fazem chantagem emocional e se sentem, facilmente, ofendidos quando os filhos não cedem.

Por trás de uma mãe ou pai tóxico, está o amor

Pode ser que você ache estranho que tantas atitudes negativas possam estar associadas à criação de um filho, mas é importante lembrar que, na maioria das vezes, esses pais e mães não querem e, até mesmo, não percebem o quanto estão sendo tóxicos para os próprios filhos. Comportamentos como esses podem ser resultado, por exemplo, de uma criação autoritária e pouco afetiva ou de uma insegurança que faz com que esses pais busquem se reafirmar por meio do controle da vida de seus filhos. Seja o que for, em muitos casos, por trás das atitudes de pais tóxicos está o amor e o desejo de fazer o melhor por seu filho. Assim, é muito importante buscar o autoconhecimento e, até, ajuda de um profissional, caso situações como as citadas acima passem a ser recorrentes na relação entre pais e filhos. Afinal, uma relação baseada no cuidado, no carinho, no respeito e no amor é uma relação melhor para todos!

Leia também:

Profile photo of Ana Clara Oliveira

Jornalista e autora no Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.