Cama compartilhada ou cada um na sua cama?

por | mar 29, 2018 | 12 Comentários

Ah, a hora de dormir! Momento tão gostoso, por vezes um pouco complicado e, sempre, tão singular na rotina de cada família. O ritual que envolve colocar o pijama nas crianças, ler uma história, dizer boa noite e pegar no sono pode ser mais ou menos tranquilo, dependendo dos hábitos, da idade e da personalidade do pequeno. Assim como outros marcos na infância, esse processo também passa por diversas fases e envolve o desenvolvimento da autonomia das crianças. De acordo com a rotina, a realidade e a preferência, as famílias se adequam ao seu modo para tornar o momento melhor e mais fácil para pais e filhos. Cama compartilhada, berço acoplado ou cada um na sua cama… Afinal, existe um melhor método para colocar as crianças para dormir?

Cama compartilhada: todo mundo junto e misturado!

Permeada de mitos e opiniões, a prática da cama compartilhada tem ganhado espaço e adeptos, principalmente devido a popularidade da criação com apego. Se, por um lado, alguns especialistas e pais apontam que a prática pode trazer riscos para a criança e prejudicar seu desenvolvimento; por outro, profissionais e adeptos ressaltam que dormir junto com os filhos ajuda no fortalecimento dos vínculos, no momento da amamentação e, ainda, colabora com o desenvolvimento infantil.

Depois de nove meses tão próximo da mamãe, ao chegar ao mundo, os bebês sentem falta dessa conexão e aconchego, e por esse motivo, quando estão bem pertinho do calor, do cheiro e dos movimentos do corpo da mãe ou do pai, sentem-se mais seguros e tranquilos. Além disso, estar próximo do pequeno durante a noite, nos primeiros meses de vida, facilita a rotina de amamentação e melhora a qualidade do sono não só do bebê, mas também da mãe e do pai, que não precisam se levantar a todo momento durante a noite. Outro ponto importante para quem opta por compartilhar a cama com os filhos, é o fato de que estar mais próximo da criança faz com que qualquer eventualidade seja rapidamente percebida e resolvida, como os engasgos, por exemplo. Por fim, dormir junto do pequeno, colabora para que ele se sinta mais seguro, o que ajuda no desenvolvimento da sua independência, fazendo com que, com o tempo, naturalmente, a criança busque e peça por seu próprio espaço.

No entanto, essa prática só trará esses benefícios e será positiva para a família quando realizada com segurança e consciência. Alguns cuidados importantes a tomar, caso você opte pela cama compartilhada, são: manter o quarto fresco e arejado, não usar cobertores ou almofadas muito pesadas e grandes, manter o bebê entre a mãe e a parede, usar colchões firmes e não superfícies improvisadas, não utilizar pijamas com cordões que possam enroscar no bebê, prender o cabelo se for longo e não deixar nenhum vão em que o bebê possa ficar preso.

Alternativa: Caso você queira dormir bem pertinho do seu pequeno, mas não seja possível compartilhar a mesma cama, uma opção é o quarto compartilhado, com o berço ao lado da cama dos pais, ou o co-sleeper, com o berço acoplado à cama.

Cada um na sua cama: colocando a criança para dormir sozinha!

Se, de um lado, algumas famílias têm aderido à prática da cama compartilhada, do outro, ainda existem as famílias que preferem deixar cada um na sua cama, permitindo que o pequeno tenha, desde cedo, seu próprio cantinho na casa. Para quem escolhe essa opção na hora de dormir, entre os benefícios apontados estão: colaborar com o desenvolvimento da autonomia da criança, e respeitar o espaço e a intimidade de cada membro da família.

O quarto da criança, mais do que um lugar aconchegante para dormir, é o seu espaço, onde ela pode se expressar, decorar de acordo com seu gosto e se refugiar quando quiser ficar sozinha, ler ou brincar à sua maneira. O sentimento de ter o seu próprio cantinho colabora para o fortalecimento da autoestima e da autoconfiança do pequeno, fazendo-o se sentir independente e confiante por conseguir dormir sozinho em sua própria cama.

Por outro lado, para o casal, a prática de cada um ter seu quarto na hora de dormir também traz vantagens. Além de preservar a intimidade e rotina dos adultos, os quartos separados também deixam mais claro onde é o espaço de cada um, delimitando melhor o papel e a rotina de cada membro da família. Afinal, adultos e crianças têm horários, preferências e atividades diferentes e é importante que cada um entenda e respeite o espaço do outro.

No entanto, colocar o filho para dormir sozinho nem sempre é uma tarefa simples, e algumas dicas podem tornar esse processo mais fácil:

Ler histórias para dormir.
– Decorar o quarto de acordo com  gosto do pequeno.
– Deixar uma luzinha acesa durante a noite.
– Estabelecer uma rotina e um ritual para que o pequeno possa se organizar e ter autonomia na hora de dormir.

Mas, claro, nada impede que uma noite ou outra – seja porque o pequeno está com medo, triste ou doente, ou, simplesmente, porque pais e filhos estão com vontade – todo mundo durma bem juntinho, quebrando a rotina e proporcionando um momento delicioso cheio de carinho!  

E você? Como é a hora de dormir aí na sua casa?

Cama-compartilhada

Nós fizemos uma pesquisa em nosso Instagram para saber qual desses métodos as famílias aderem em casa. Das 7.494 pessoas que responderam a enquete, 51% afirmaram que optam pela cama compartilhada, enquanto 49% prefere cada uma na sua cama. Ou seja, as respostas foram bem equilibradas entre um método e outro!

E aí na sua casa? Como é o ritual na hora de dormir? Você compartilha a cama ou o quarto com seu pequeno? Ou vocês preferem dormir cada um no seu cantinho? Compartilhe aqui com a gente sua opinião e suas experiências!

Leia também:

Categorias:
0 - 3 | 4 - 6 | Educação | Família | Idade
Escrito por Ana Clara Oliveira
Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.
Relacionados
Descubra o Kit Presente Leiturinha!

Descubra o Kit Presente Leiturinha!

Conheça uma novidade incrível: o Kit Presente Leiturinha! Exatamente como os Kits enviados no Clube Leiturinha, todos os meses. Mas este é um Kit Leiturinha SURPRESA! Escolha a categoria que mais combina com os hábitos de leitura de seu pequeno ou pequena e pronto! Em...

Quando procurar uma orientação parental?

Quando procurar uma orientação parental?

Educar é uma tarefa extremamente importante. Mas também pode ser bastante desafiadora. Afinal, embora a educação seja a base para um mundo melhor, nem sempre é um processo fácil. Pensando nisso, quando procurar uma orientação parental? Acompanhe! Entre a teoria e a...

Descubra o Kit Presente Leiturinha!

Descubra o Kit Presente Leiturinha!

Conheça uma novidade incrível: o Kit Presente Leiturinha! Exatamente como os Kits enviados no Clube Leiturinha, todos os meses. Mas este é um Kit Leiturinha SURPRESA! Escolha a categoria que mais combina com os hábitos de leitura de seu pequeno ou pequena e pronto! Em...

Quando procurar uma orientação parental?

Quando procurar uma orientação parental?

Educar é uma tarefa extremamente importante. Mas também pode ser bastante desafiadora. Afinal, embora a educação seja a base para um mundo melhor, nem sempre é um processo fácil. Pensando nisso, quando procurar uma orientação parental? Acompanhe! Entre a teoria e a...

5 brincadeiras para estimular a criatividade das crianças

5 brincadeiras para estimular a criatividade das crianças

As crianças são os seres mais criativos do mundo! E são muitas as brincadeiras para estimular a criatividade das crianças. No entanto, muitos de nós vamos perdendo essa habilidade ao longo dos anos, sobretudo quando crescemos e deixamos de acreditar na importância da...

12 Comentários

  1. Avatar

    Desde os 2 anos meu filho Miguel (hoje com 5 anos) dormiu sozinho, estabelecemos o ritual da noite e ele dormia sempre após a historinha. Porém desde o ano passado que engravidei do seu irmãozinho Bernardo hoje com 3 meses de idade ele quis voltar a dormir na nossa cama de casal tentei de tudo pra fazer ele dormir na cama dele mas percebi que nesta fase de adaptação entre ele e o irmão é muito importante pra ele esse momento comigo na minha cama, é nessa hora que ponho o pequeno no berço pra dormir que converso com o Miguel sobre o seu dia nos agarramos na cama dou bastante carinho só pra ele etc. Combinamos então que ficaria comigo na cama e quando o papai chegasse o levaria pra cama (geralmente já está dormindo) e está dando certo todos ficamos felizes acho que não tem certo ou errado depende do momento.

    Responder
  2. Avatar

    Estou com dificuldade de colocar o filho para dormir em seu próprio quarto.
    O filho inicia a noite lá e de madrugada vai para o nosso quarto.
    Tá complicado, pois ele dormia conosco até completar 4 anos.
    Tem quase dois meses nessa . Mas vamos conseguir.

    Responder
  3. Avatar

    Bom dia ,
    Tenho dua mocinhas, uma de sete e a outra de tres aninhos, porem a duas dormem em seus quartos, mas a pequena sempre ta fugindo pra nossa cama kkkkkk, normalmente faço elas dormirem primeiro ai vou pra minha cama. Mas por elas dormiam na nossa cama todos dias..
    Elas falam que nosso quarto é gosotosinho, ai se enfiam embaixo do edredom pra se esconderem kkkkkkkkk, sao uma dadiva dos seuskkk, minha razao de viver.

    Responder
  4. Avatar

    Dormi por 8 anos com a minha filha na mesma cama que a minha. Mas isso já estava atrapalhando a sua independência e amadurecimento para a idade. E era um processo difícil pra mim também como Mae, o deixar ir. Mas com muita ajuda psicológica e amadurecimento da ideia, no final de 2017, organizei o quarto dela e fizemos a transição. Foi bem tranquilo desde os primeiros dias. Fizemos uma rotina de conversar ou contar histórias antes de dormir e hoje ela se sente super segura no seu cantinho. E eu com mais espaço para mim e minhas coisas, pois isso reforçou que não precisamos estar 100% grudadas como era antes e mesmo esta tudo bem para as duas. Crescimento, amadurecimento e independência para mim e principalmente para ela! Estamos mais felizes!

    Responder
  5. Avatar

    O meu filho recém nascido, acordava dez vezes na noite quando dormia sozinho e era aquele “berreiro”, ai era aquele ritual, ninar por para dormir, deitar na cama e acordar, só fomos (eu e esposa) ter noites tranquilas, inteiras de sono, quando o colocamos na nossa cama. Hoje, já com quatro anos, ele começa a noite na cama dele no quarto dele, de madrugada vai para nossa cama, e geralmente como um brinquedo, um copo d’ água e uma pelúcia, acho muito engraçado, e se eu ou minha esposa não acordarmos para pegá-lo e colocá-lo no meio da cama, ele põe os pertences no criado mudo e escala um de nós, kkkk, quando acordamos aquela “pessoinha” que tanto amamos está lá ao nosso lado. Agora quem acha certo ou errado e a criança dormir com os pais, NÃO TO NEM AI!!! O importante e a felicidade do pequeno, sentir protegido, e a qualidade do sono dos grandes.

    Responder
  6. Avatar

    Calma mães e pais, tudo isso vai passar, em breve eles crescem e por eles mesmos vão se distanciando e tendo a individualidade deles, está é uma fase como tantas outras que virão, vivam intensamente cada momento, pois garanto, são únicos. Filhos crescem e alçam seus voos, o importante agora é dar-lhes muito amor muito carinho, coloquem-se no lugar deles, brinquem muito, contem-lhes histórias da vida de vocês antes deles terem nascido, leiam muito pra eles e com eles, digam-lhes o quanto são inteligentes educados e bons seres humanos, diga-lhes de coração o quanto os amam, abracem muito beijem o quanto puderem, tudo isso com uma base de educação e bons modos, e eles crescerão felizes e seguros de si, independente se dormindo sozinhos ou junto ou mesmo ao lado. Vivam e amem😍😊seus filhos.

    Responder
  7. Avatar

    Olá Ana Clara
    Para compartilhar minha experiência com os demais… meu filho dormiu por um mês no carrinho ao lado de nossa cama e após isso já providenciamos dele dormir no berço em seu próprio quarto. Claro que até hoje utilizamos o monitor. Minha esposa ainda não conseguiu se desvencilhar do monitoramento. Hoje meu filho tem três anos, e dorme na sua própria cama, na altura do chão. Levamos para dormir, às vezes lemos uma história, e eu ou minha esposa apagamos a luz e ficamos deitados com ele até que durma. O que ainda não entendemos é porque, por volta das 4 ou 5 da manhã, ele levanta e vai até o nosso quarto. Já sobe na cama, deita entre nós dois e dorme mais umas duas ou três horas. Virou rotina diária. É muito raro ele dormir somente na cama dele a noite toda. Não foi sempre assim. Durante muito tempo ele dormia sozinho a noite toda. Se um de nós levantar e voltar com ele para a cama dele, e deitar junto até ele dormir, ele fica. Mas ao levantarmos, depois de um tempo, ele acorda e nos procura novamente. Então a questão não é nossa cama ou nosso quarto. É a nossa presença. Só não sei como eliminar isso.

    Responder
  8. Avatar

    Minha filhinha dormiu em nossa cama por una três meses, mas seu berço ficou em nosso quarto até os oito meses. Depois disso, ela passou a dormir em seu próprio quarto. Hoje ela tem dois anos, às vezes permitimos que ela durma conosco quando pega no sono em nossa cama, ou quando aparece em nosso quarto de madrugada.
    Essa é uma decisão tão pessoal… Os pais conhecem sua rotina e seus filhos. O que foi bom para nós e deu certo para nós, pode não dar certo em outra família. Tivemos muita sorte porque ela não tem medo do escuro e afora dormir à noite toda!

    Responder
  9. Avatar

    Olá 🙂

    Apenas passando para deixar um elogio para o blog! Adoro todos os posts e os assuntos parecem chegar na hora certa para mim! As vezes não consigo ler na hora pela correria mas sempre separo um tempinho para ler depois com calma!

    Beijos,
    Adriana

    Responder
  10. Avatar

    Tenho uma casal de gêmeos de 5 anos, Octávio e Luiza, que adoraram quando o pacote do Leiturinha chega em casa, é a maior vibração. Cada um dorme na sua cama e no mesmo quarto, mas na madrugada migram para minha cama e não querem voltar para as suas. Meu marido já adotou um colchão no chão e eles dormem na nossa cama junto comigo. Agora com a chegada do frio, adoram porque o quarto é mais quentinho. Eles dizem que gostam de dormir na cama da mamãe porque tem cheirinho! kkkk…. amo!!!

    Responder
  11. Avatar

    Aqui em casa cada um tem seu quarto. Tenho três filhos, os mais velhos nunca dormiram na minha cama, mas a minha pequena que hoje está com 5 anos, parece que não quer abrir mão da mordomia de dormir junto comigo. Claro que algumas vezes ela opta por dormir em seu quarto, mas na maior parte do tempo prefere o aconchego do meu quarto. Toda noite ela pede para que eu leia para ela, isso nos aproxima, nos conforta e torna a hora de dormir ainda mais prazerosa.

    Responder
  12. Avatar

    Ola.. passando pra deixar minha experiência… quando meu bebê nasceu colocamos o berço no nosso quarto… mas ele acordava repetidas vezes a noite… eu exausta… optei por deixa lo conosco na cama… ele não se adaptou mais ai berço… hoje ele tem 2 anos… tem seu próprio quarto sua caminha mas na hora de dormir … sempre opta pela cama da mamãe e do papai… tenho esperança de adapta lo no seu quartinho… as crianças são muito inteligentes com jeitinho sei que conseguirei.. . Obg!!

    Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *